A votação para presidente da foi encerrada neste domingo (14). O resultado ainda sendo contabilizado pode acabar com o governo de 20 anos do presidente Tayyip Erdogan. Esta é uma das eleições mais importantes nos 100 anos de história do país.

A votação presidencial decidirá não apenas quem lidera a Turquia, um país membro da OTAN de 85 milhões de habitantes, mas também como ela é governada, para onde sua economia está indo em meio a uma profunda crise de custo de vida e a forma de sua política externa.

As pesquisas de opinião deram ao principal adversário de Erdogan, Kemal Kilicdaroglu, que lidera uma aliança de seis partidos, uma ligeira vantagem, com duas pesquisas na sexta (12) mostrando-o acima do limite de 50% necessário para uma vitória definitiva. Se nenhum deles obtiver mais de 50% dos votos no domingo, um será realizado em 28 de maio.

Conforme o UOL, as assembleias de voto foram encerradas oficialmente às 17h (11h em Brasília), após nove horas. A comunicação dos resultados antes das 21h não é permitida, por isso as primeiras indicações do resultado podem não surgir até tarde da noite. No entanto, as autoridades eleitorais podem autorizar que a mídia informe sobre os resultados mais cedo.

Com Erdogan ligeiramente atrás de seu rival, Kemal Kilicdaroglu, as eleições estão sendo observadas atentamente nas capitais ocidentais, no , na OTAN e em Moscou.

Uma derrota de Erdogan, um dos aliados mais importantes do presidente Vladimir Putin, provavelmente enervará o Kremlin, mas confortará o governo Biden, assim como muitos líderes europeus e do Oriente Médio que tiveram relações problemáticas com Erdogan.