O presidente da Rússia, Vladimir Putin, recebeu calorosamente o líder da China, Xi Jinping, no Kremlin nesta segunda-feira, 20, enviando uma mensagem poderosa aos líderes ocidentais de que seus esforços para isolar Moscou devido aos combates na falharam.

A viagem de Xi – sua primeira ao exterior desde sua reeleição no início deste mês – mostrou a nova força diplomática de Pequim e deu um impulso político a Putin poucos dias depois que um mandado de prisão internacional foi emitido para o líder do Kremlin por acusações de crimes de guerra relacionados à Ucrânia

As duas grandes potências descreveram a viagem de três dias de Xi como uma oportunidade para aprofundar sua “amizade sem limites”. A China vê a Rússia como uma fonte de petróleo e gás para sua economia faminta por e como um parceiro para enfrentar o que ambos veem como agressão dos Estados Unidos, domínio dos assuntos globais e punição injusta por seus registros de direitos humanos.

Os líderes sorriram e apertaram as mãos antes de se sentarem no início da reunião, chamando uns aos outros de “querido amigo” e trocando elogios. Putin parabenizou Xi por sua reeleição e expressou esperança de construir laços ainda mais fortes.

Tanto Moscou quanto Pequim acusaram de tentar isolá-los e impedir seu desenvolvimento enquanto o desafiam pela liderança regional e global.

Em suas 4 horas e meia de conversas, Putin ofereceu a Xi uma “explicação detalhada” das ações de Moscou na Ucrânia, segundo o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov. Conversas mais amplas sobre uma variedade de assuntos estão agendadas para esta terça, 21.