Pelo menos 21 jornalistas foram mortos desde o início da guerra entre Hamas e Israel, após o ataque terrorista do dia 7, a maioria em bombardeios israelenses na Faixa de Gaza, de acordo com o CPJ (Comitê para a dos Jornalistas) – 17 palestinos, três israelenses e um libanês.

“O CPJ enfatiza que os jornalistas são civis que realizam um trabalho importante em tempos de crise e não deveriam ser alvo no conflito”, afirmou Sherif Mansour, diretor do CPJ para o Médio Oriente e Norte da África.

Recorde

“Os jornalistas de toda a região estão fazendo um grande sacrifício para cobrir esta guerra e todos deveriam tomar medidas para garantir sua segurança.” De acordo com Mansour, mais jornalistas morreram na Faixa de Gaza em duas semanas do que nas últimas duas décadas.