Mundo

Empresa cria golfinhos robôs que poderão acabar com a prisão de animais em cativeiro

Pode até parecer real, mas não é. Uma empresa americana criou um golfinho robô que nada, pula, brinca e tem até mesmo a textura da pele do animal, alternativa que poderá se tornar solução para os animais que hoje vivem em cativeiro. A Edge Innovations é uma companhia norte-americana que possui uma divisão especifica para […]

Gabriel Neves Publicado em 15/10/2020, às 11h50

O golfinho-robô pode substituir animais reais em parques. (Foto: Reprodução/Nathan Frandino)
O golfinho-robô pode substituir animais reais em parques. (Foto: Reprodução/Nathan Frandino) - O golfinho-robô pode substituir animais reais em parques. (Foto: Reprodução/Nathan Frandino)

Pode até parecer real, mas não é. Uma empresa americana criou um golfinho robô que nada, pula, brinca e tem até mesmo a textura da pele do animal, alternativa que poderá se tornar solução para os animais que hoje vivem em cativeiro.

A Edge Innovations é uma companhia norte-americana que possui uma divisão especifica para efeitos especifica e bonecos animatronics. Eles são os responsáveis pelo golfinho robô, que custa US$ 26 milhões cada.

“Quando eu vi pela primeira vez o golfinho, achei que era real”, disse uma mulher que nadou com o robô operado por controle-remoto, conforme publicado pelo portal G1.

A empresa espera que os animatronics usados em filmes de Hollywood possa, um dia, serem usados como entretenimento em parques temáticos em vez de animais capturados.

A alternativa abre um leque inimaginável de opções, como nadar aos lados de tubarões brancos ou até mesmo répteis robóticos semelhantes aos que habitaram a terra há milhões de anos.

“Atualmente há 3 mil golfinhos mantidos em cativeiro e sendo usados para gerar bilhões de dólares. Por isso, há obviamente um interesse e amor do público sobre os golfinhos”, disse o fundador da Edge Innovations, Walt Conti.

Jornal Midiamax