Mundo

França pede doações para reconstrução da Notre-Dame

O presidente da França, Emmanuel Macron, comentou em entrevista realizada ontem,15, que será criado um fundo nacional e além-fronteiras para buscar a reconstrução da catedral Notre-Dame, em Paris. O monumento centenário foi parcialmente destruído por um incêndio na tarde dessa segunda-feira, causando o desabamento da torre principal. Macron, em visita ao local acompanhado por au...

Jéssica Fernandes Publicado em 16/04/2019, às 07h59 - Atualizado às 08h16

Foto/Reprodução
Foto/Reprodução - Foto/Reprodução

O presidente da França, Emmanuel Macron, comentou em entrevista realizada ontem,15, que será criado um fundo nacional e além-fronteiras para buscar a reconstrução da catedral Notre-Dame, em Paris. O monumento centenário foi parcialmente destruído por um incêndio na tarde dessa segunda-feira, causando o desabamento da torre principal.

Macron, em visita ao local acompanhado por autoridades e religiosos, pediu aos franceses que mantenham a fé e esperança na reconstrução da catedral. “Vamos reconstruir a Notre-Dame”, disse, ao lembrar que este “é um momento difícil.”

As primeiras doações aconteceram nesta terça-feira, 16. Bernard Arnault, colecionador de artes e empresário do conglomerado de marcas de luxo, LVMH, anunciou uma doação de 200 milhões de euros para a reconstrução do monumento. François-Henri Pinault, presidente da holding francesa Kering, grupo de artigos de luxo doou 100 milhões de euros. Valérie Pécresse, presidente do conselho regional de Île-de-France, uma das 13 regiões administrativas da França e que abriga a Grande Paris, afirmou que doará 10 milhões de euros.

O presidente do Parlamento Europeu, Antonio Tajani pediu aos parlamentares por doações para a reconstrução da Notre-Dame “como um sinal de solidariedade” em uma caixa do lado de fora do plenário em Estrasburgo.

Por fim, a agência cultural das Nações Unidas, a Unesco, também prometeu “apoiar a França” na restauração do monumento, declarado Patrimônio da Humanidade em 1991.

Com informações da Deutsche Welle

Jornal Midiamax