Mundo

“Feministo” que roubou a cena em protestos no Chile já agrediu ex-esposa

Rapaz deve mais de R$ 14 mil em pensão para filha

Joaquim Padilha Publicado em 22/10/2016, às 12h50

None
feministo.jpg

Rapaz deve mais de R$ 14 mil em pensão para filha

Em diversas cidades da América Latina, manifestantes protestaram pelo fim da violência de gênero nesta quarta-feira (19), em reação da morte da jovem argentina Lúcia Perez, 16, drogada e estuprada no sábado (15).

Apesar dos protestos terem sido marcados pela presença dominante feminina, foi um homem que chamou mais atenção nas manifestações do Chile, depois de ter uma foto sua segurando um cartaz compartilhada milhares de vezes nas redes sociais.

Sem camisa e segurando a placa com os dizeres “Estou seminu, rodeado pelo sexo oposto… E me sinto protegido, não intimidado. Quero o mesmo para elas”, a foto de Felipe Garrido chamou a atenção de sua ex-mulher, que desmascarou sua atitude feminista.

Francesca Palma, em entrevista ao site chile El Desconcierto, disse que Garrido deve mais de R$ 14 mil em pensão para a filha de 11 anos do ex-casal, e contou que já foi vítima de agressões por parte do rapaz.

Garrido inclusive entrou com um recurso para diminuir o valor do auxílio pago à filha, que não é depositado desde janeiro.  O homem também teria retirado a filha do sistema privado de seguros de saúde do Chile.

De acordo com os relatos da ex-mulher, ela conheceu Garrido aos 15 anos e engravidou aos 19, quando foram morar juntos.”Ali começaram as brigas, porque eu estava cansada de mantê-lo, já que ele não trabalhava”.

“Uma vez ele jogou um prato contra mim e rompeu meu tendão, tenho uma cicatriz no pé. Quando chegamos à clínica ele me pediu que não contasse nada ao médico, pra que ele não fosse preso”, relatou Francesca.

As denúncias por maus tratos foram confirmadas pelo jornal argentino Clarín, que encontrou os registros policiais dos casos em Santiago. “Você imagina como eu me senti quando vi sua foto por todo o lugar?”, disse Francesca.

Jornal Midiamax