A atriz Klara Castanho, de 22 anos, realizou a primeira aparição após ter se tornado público os episódios de estupro, e entrega voluntária do para a adoção que a jovem enfrentou. Ela participou do Altas Horas, da TV Globo, exibido na noite de sábado (04).

O caso se tornou público contra a vontade da atriz em junho de 2022. Klara abriu a fala agradecendo o espaço dado pelo programa e pelo apoio nas mensagens que recebe.

A atriz afirmou que foi forçada a falar publicamente sobre o que se tornou o episódio mais difícil da vida dela. Klara Castanho, os convidados do programa e o público ficaram emocionados com o relato.

Depois que eu vim a público, de novo, de forma forçada, eu denunciei todos os crimes aos quais eu fui submetida. Todos. Sem nenhuma exceção. E o que me resta nesse momento, e ainda bem, é confiar na Justiça. E eu confio muito. Não só na justiça daqui, mas numa justiça muito maior. Eu fiz o que eu podia, como podia, o que meu psicológico podia aguentar, e pode”, ela disse no programa. 

Em junho de 2022, Klara Castanho contou, por meio do Instagram, que foi vítima de estupro e que descobriu a gravidez somente dias antes do parto. Aconselhada por advogados e seguindo os trâmites judiciais, ela realizou a entrega voluntária do bebê para a adoção.

Confira o relato de Klara Castanho no programa Altas Horas:

É minha primeira vez, minha primeira aparição pública. Antes de mais nada eu quero muito agradecer a todos vocês. Eu escolhi vir aqui porque principalmente você, Serginho, é muito cuidadoso, sempre me recebeu muito bem, é uma plateia sempre muito cuidadosa, muito amistosa, muito respeitosa. E, meu coração tá muito acelerado. É, muito provável que em algum momento eu vá chorar… É, eu quero te agradecer, de verdade, por esse espaço. Foi um período de recolhimento voluntário. Depois de tudo o que aconteceu no ano passado, eu cheguei no meu limite do que eu poderia, deveria e consigo falar.

Eu quero antes de mais nada abrir o programa falando sobre isso, que é um assunto latente, eu sei que por ser a minha primeira vez publicamente é o que as pessoas querem saber, é o que as pessoas estão em busca. Eu fui forçada a trazer a público a coisa mais difícil da minha vida. Eu nunca imaginei que eu teria que falar e lidar com isso além das pessoas que involuntariamente foram incluídas na história, que são a minha família. Eu tenho muita sorte de ter recebido muito acolhimento, as pessoas foram muito gentis comigo. Eu tenho uma rede de apoio maravilhosa. Uma equipe que me acolheu, me defendeu e me defende. Eu recebo mensagens de muito carinho, por mais que as pessoas não entendam, as pessoas escolheram respeitar a minha decisão.

E tem uma coisa que quero deixar aqui registrado, já que é a única coisa que tentam usar contra mim de alguma forma. Depois que eu vim a público, de novo, de forma forçada, eu denunciei todos os crimes aos quais eu fui submetida. Todos. Sem nenhuma exceção. E o que me resta nesse momento, e ainda bem, é confiar na Justiça. E eu confio muito. Não só na justiça daqui, mas numa justiça muito maior. Eu fiz o que eu podia, como podia, o que meu psicológico podia aguentar, e pode.

E que bom que eu estou aqui, que bom que é com você, que bom que é com mulheres tão fortes, mulheres tão potentes. E finalmente eu consigo chorar, finalmente eu consigo colocar para fora. Mais uma vez eu quero muito agradecer o acolhimento de cada um, cada olhar de carinho, cada olhar de amor, cada carinho que eu recebi e recebo todos os dias. Desculpa tomar tanto tempo, mas que bom que foi agora e que bom que foi dessa forma, obrigada.

Saiba Mais