Valentina Schmidt, filha do apresentador global Tadeu Schmidt, revelou ter abandonado a faculdade após ser ofendida por uma professora em sala de aula. Conforme a jovem, tudo aconteceu depois que a moça se assumiu uma pessoa “queer”.

Queer é o termo que diz respeito a quem não se identifica com nenhum gênero e faz referência àqueles que não correspondem à heteronormatividade. A tradução literal seria “estranho”.

Em entrevista ao jornal O Globo, a garota de 21 anos desabafou e trouxe à tona acontecimentos que mexeram com seu íntimo. Ela diz ter sido vítima de homofobia e até seu pai, Tadeu Schmidt, foi alvo de ataques na Universidade, onde cursava Comunicação.

“Tive alguns professores que me desencorajaram. Uma em especial fazia vários comentários homofóbicos sobre mim e também comentários ofensivos sobre o meu pai. Pensei: ‘Não vou ficar em um ambiente em que não me sinto bem-vinda'”, iniciou ela em entrevista ao O Globo.

Valentina também rebateu alguns comentários a seu respeito. “Quando me assumi, isso gerou um alvoroço gigantesco. Entendi que, por conta da visibilidade que eu ganhei por ser filha do meu pai, isso ia acabar estourando. Mas, desde que eu postei, vi gente falando que fiz isso para chamar a atenção. Eu jamais faria isso. Fiz porque finalmente estava confortável comigo mesma e queria mostrar para o mundo que tenho orgulho de ser quem eu sou”, continuou.

No entanto, conforme a filha de Tadeu Schmidt, as situações que geraram sofrimento não se limitam à época da faculdade. “Chegou a um ponto em que eu não aguentava mais. Nunca aceitei injustiça e sempre me posicionava. As pessoas me zoavam por isso e também pela forma excêntrica com que eu me vestia. Sempre gostei muito de moda e usava coisas que nem sempre correspondem à moda heteronormativa”, declarou.