Após um pedido do Ministério Público do , a Justiça determinou que o ator e apresentador Bruno de Luca deverá responder por omissão de socorro a Kayky Brito, por não ajudar o amigo após atropelamento na Barra da Tijuca.

Os dois estavam bebendo juntos em um quiosque, quando Kayky atravessou a rua incorretamente e acabou sendo atingido por um veículo. Nas imagens de câmeras de segurança recuperadas pela Polícia Civil, responsável pela investigação, é possível ver o momento em que Bruno de Luca deixa o local sem prestar socorro ao amigo. O inquérito, no entanto, não havia indiciado o ator.

Em depoimento à polícia, Bruno afirmou que não viu o atropelamento e só soube que o amigo havia sido atingido no dia seguinte.

“[De Luca] Foi o único que teria saído do local logo após o atropelamento, sem adotar qualquer providência para prestar socorro, nem mesmo saber que algum socorro ou solicitação havia sido feita”, diz o texto do MP.

“A conclusão lógica e óbvia é que o referido senhor Bruno não se importou sequer em ter qualquer conhecimento quanto às providências que teriam sido adotadas para prestação de socorro daquela vítima, não podendo se eximir de responsabilidade pelo crime previsto no artigo 135 do Código Penal”, acrescenta o pedido.

O pedido do promotor Márcio Almeida Ribeiro da Silva foi aceito integralmente pela juíza Simone Cavalieri Frota, do 9º Juizado Especial Criminal.