é estrela da capa da edição de setembro da versão americana da revista de Vogue. A cantora falou, principalmente, sobre a aceitação do corpo depois do nascimento dos filhos gêmeos em junho de 2017.

“Depois do nascimento da minha primeira filha (Blue Ivy), eu acreditei em coisas que a sociedade disse sobre como meu corpo deveria estar. Eu coloquei pressão em cima de mim mesma para perder todo o peso que eu ganhei em três meses e marquei uma pequena turnê para me certificar de que faria aquilo. Olhando para trás agora, foi loucura”, disse ela em entrevista.

Após o nascimento dos gêmeos, Rumi e Sir Carter, a cantora começou a pensar diferente sobre as necessidades do próprio corpo. “Eu estava com 100 quilos quando eu dei à luz Rumi e Sir. Eu estava inchada da toxemia e também fiquei na cama por mais de um mês. Minha saúde e meus bebês estavam em risco, então fiz uma cesariana de emergência”.

“Foi uma cirurgia demorada. Alguns dos órgãos são tirados do lugar temporariamente e, em alguns casos, removidos temporariamente durante a cirurgia. Eu não tenho certeza se todo mundo entende isso. Eu precisei de tempo para me curar, me recuperar. Durante a minha recuperação, eu me cuidei, me dei muito amor e abracei o fato de estar com mais curvas. Eu aceitei o que meu corpo quer ser”, complementou Beyoncé.

“Eu acho que é importante para mulheres e homens verem e apreciarem a beleza de seu corpo natural… Hoje em dia, meus braços, meus ombros, meus seios e coxas estão mais cheias. Eu tenho uma barriguinha de mãe e não estão com pressa de me livrar dela. É real. Sempre que eu me preparo para ficar com a barriga trincada, eu viro uma fera e não paro até conseguir. Mas agora, eu e minhas gordurinhas sentimos que fomos feitas uma para a outra”, concluiu a cantora.

Com os rumores de que a editora-chefe da publicação estaria deixando o cargo, Beyoncé teve mais liberdade e poder de escolha durante a produção da edição de setembro. A cantora escolheu as fotos e legendas, além de Tyler Mitchell como o primeiro fotógrafo negro a clicar uma capa nos 126 anos da Vogue.