MidiaMAIS / Comportamento

Oito meses após morte da filha, mãe de Alanys Matheusa é vítima do coronavírus

Morreu, vítima do coronavírus, a empregada doméstica Dona Ruth Maria, mãe da 1ª advogada negra e trans de MS Alanys Matheusa

Carlos Yukio Publicado em 29/12/2020, às 09h51

None
Oito meses após morte da filha, mãe de Alanys Matheusa é vítima do coronavírus

Morreu em Campo Grande nesta segunda-feira (28), vítima do coronavírus, a empregada doméstica Dona Ruth Maria, mãe da 1ª advogada trans negra de MS Alanys Matheusa, falecida em abril de 2020. A filha, ainda em vida, alcançou relevância nacional ao ter sua história de vida e relevância para o movimento trans e negro contada pela Intercept Brasil. Segundo a família, Dona Ruth contraiu o coronavírus há 2 meses e o caso evoluiu para um pneumonia grave.

Ruth Maria foi uma das maiores inspirações de Alanys, hoje homenageada por um coletivo homônimo, para alcançar suas metas, como conquistar bolsa de 100% do Prouni em uma universidade de Campo Grande, passar na prova da OAB ainda enquanto estudava e se tornar a primeira mulher negra e transgênero de Mato Grosso do Sul.

Oito meses após morte da filha, mãe de Alanys Matheusa é vítima do coronavírus
Alanys Matheusa, primeira advogada trans e negra de MS, falecida em abril de 2020 após parada cardiorrespiratória (Arquivo Pessoal)

“Minha mãe me disse que eu tinha que me manter firme, porque haveria muitos momentos difíceis na vida. Ouvir seu conselho me levou à universidade. Estou terminando na condição de única negra da turma”, disse em entrevista à publicação na ocasião a jovem que ainda sonhava em ser juíza.

Alanys morreu na manhã do dia 14 de abril de 2020, aos 22 anos. Um ponto fora da curva, a mulher trans, negra e periférica moradora do Bairro Guanandi teve uma parada cardiorrespiratória. De acordo com a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), Alanys deu entrada na Upa Leblon às 7h e a morte foi constatada às 7h20.

Jornal Midiamax