Os novos moradores do Bioparque Pantanal chegaram e estão de quarentena! Isso mesmo, os quase mil peixes que vieram do Aquário de Bonito – que fechou após 16 anos de operação – vão ficar quarentenados para monitoramento, antes de serem alocados aos tanques de visitação.

De acordo com a bióloga e diretora-geral, Maria Fernanda, os peixes foram trazidos a Campo Grande com acompanhamento de uma equipe multidisciplinar. Os 20 colaboradores envolvidos garantiram a biossegurança e a redução do estresse nos peixes, devido ao transporte. Agora, eles vão ficar de quarentena, em espaço apropriado, para se adaptarem melhor aos tanques.

“Aqui é onde eles passarão por monitoramento e também são alocados protocolos de bem-estar animal, visando garantir a saúde deles e uma melhor adaptação no momento em que eles forem alocados aos tanques de visitação”, explica.

Em paralelo a isso, é desenvolvido um estudo que visa compreender os melhores locais para abrigarem os peixes. A pesquisa leva em conta as particularidades de cada espécie.

“É feito todo um estudo chamado protocolo taxonômico, onde é estudado os melhores locais de acordo com as particularidades de cada espécie para que eles tenham a melhor adaptação, e com isso ele consiga ter um aquário bem estruturado, com animais com saúde”, afirma a bióloga.

Tanque de peixes no Bioparque Pantanal. (Henrique Arakaki, Midiamax)

Período de quarentena

A quarentena dos peixes deve durar aproximadamente 40 dias, mas esse período pode ser maior ou menor, conforme a bióloga. Alguns podem precisar de apenas 15 dias, outros estendem esse prazo.

“O protocolo diz que são 40 dias, mas pode ser um tempo maior ou menor.  Dependendo da particularidade e da adaptação dos animais, pode chegar a 15 dias ou estender também, porque há todo um trabalho de ambientação desses animais, para que quando eles estiverem nos tanques, eles fiquem bem e não tenham nenhum problema”, explica.

Alguns peixes já têm, até mesmo, o aquário em que vão ficar definidos, como o caso do peixe Tiago, que é um tambaqui, e a Cris, um pacu albino. “Eles vão ficar no tanque 5, mas tem outros que vão para o túnel. Eles serão espalhados em vários tanques aqui do Bioparque Pantanal”, explica.

Encanto dos Turistas

A professora Gabriela Zenice, veio de Sergipe a Campo Grande, e aproveitou para visitar o Bioparque. Encantada com o que viu no local, ficou surpresa de saber que mais peixes iriam integrar os tanques, daqui a alguns dias.

“Eu estou encantada em conhecer o Bioparque, o parque é incrível, tem espécies da fauna e da flora, muitos animais para a gente conhecer. Está sendo uma experiência muito bacana e eu não sabia que estão vindo mais peixes para cá. Acho que vai enriquecer ainda mais o acervo aqui. Os estudantes, população e turistas vão agradecer, eu mesmo vou fazer questão de voltar para conhecer os peixes de lá”.

A paulistana Najara Dantas veio pela primeira vez a Campo Grande e também aproveitou a estadia para conhecer o Bioparque. Para a turista, achegada dos peixes de Bonito vão diversificar ainda mais os tanques.  

“É a primeira vez que venho aqui a Campo Grande e ao Bioparque e está sendo maravilhoso. Já viajei para muitos lugares e aqui está me surpreendendo. Ainda não conheço Bonito, e eu acho muito bacana a chegadas dos peixes de lá, penso que vai diversificar os animais e isso é importante para agregar o acervo”, comenta.