Precipitados ou prevenidos e espertos? Veados-campeiros que vivem em território dominado por onças-pintadas em se apavoraram ao notarem a presença do imponente felino e correram em disparada, dando saltos extremamente velozes de tanto medo.

E, apesar do pavor dos veados, a majestosa de 116 kg sequer olhou para eles. O registro foi feito pelo biólogo e guia de safári Fábio Paschoal, na região da Caiman Pantanal, em Miranda, onde atua a Onçafari, que monitora as onças-pintadas que habitam a área.

Veja:

De acordo com Paschoal, Iracelmo (ou Acerola), a -pintada macho que nem ligou para os veados, o “desprezo” do felino para com os pastadores só aconteceu porque ele estava de barriga cheia.

“Sabe aquele dia que te convidam pra almoçar num restaurante, mas você acabou de comer em casa? Foi o que aconteceu com o Iracelmo (também conhecido como Acerola). Ele tinha passado o dia inteiro se alimentando em uma carcaça, saiu pra beber água no açude e ignorou totalmente os veados-campeiros”, explica o biólogo sobre a cena registrada em Mato Grosso do Sul.

Conforme o guia, isso mostra que nem sempre as onças-pintadas estão em modo no Pantanal. Até porque, em outro registro de Paschoal, o mesmo felino também se recusou a comer um delicioso boi parado em sua frente.

Mesma onça não comeu bovino

Este boi já pode sair espalhando por aí que nasceu de novo. Isso porque, a sorte que o bovino teve é raríssima na natureza. Estava ele caminhando tranquilamente pela região do pantanal sul-mato-grossense em Miranda, quando uma onça à espreita apareceu em seu caminho. Mas, o desfecho não foi o esperado pela equipe de guias e biólogos que acompanhavam a cena.

Fábio Paschoal, guia responsável pelo flagra, se surpreendeu com a atitude da onça-pintada. É que o felino ficou frente a frente do alimento, mas se recusou a partir para o ataque, apesar de ter se preparado para dar o “bote”. Veja:

Mas, afinal, por que a onça-pintada não atacou o boi?

Paschoal explica que o felino da gravação é Acerola, o macho adotado por Richarlison na época da Copa do Catar, em 2022, e foi essa onça famosa a protagonista da cena incomum.

“Na ocasião, ele tinha passado o dia inteiro se alimentando em uma carcaça, saiu pra beber água no açude e um boi começou a se aproximar”, conta o biólogo.

Sendo assim, a onça desistiu de cometer o “pecado da gula”, embora tenha se preparado para isso. “Ele até se agachou, ficou em posição pra dar o bote, mas ele tinha comido tanto que a preguiça venceu e o boi viveu pra contar a história. Pois é, nem sempre as onças-pintadas estão em modo ”, comenta o profissional, que abandonou tudo em para viver no meio das onças em este ano.

Afinal, onça que não quis comer boi se chama Acerola ou Iracelmo?

Citada por Paschoal com dois nomes diferentes, a onça-pintada que não quis comer o boi por estar de barriga cheia tem uma história peculiar.

“Essa onça se chamava Iracema, que era uma homenagem pra vó da Lili, coordenadora do Onçafari. Até um dia em que um guia viu uma onça macho, tirou uma foto e pediu pro Onçafari identificar. O Onçafari respondeu que não era um macho, era a Iracema”, relata o biólogo.

Após o plot twist, Iracema foi rebatizada e, depois disso, ganhou ainda um outro nome do jogador da seleção brasileira. “O guia mandou uma foto dizendo que a Iracema tinha uma coisa que fêmeas não tem. Aí Iracema virou Iracelmo. Mas ele foi adotado pelo Richarlison, que mudou o nome pra Acerola, nome do cachorro dele”, explica o guia.