“Eu já estava agoniado”. É assim que o guia turístico Elias Tanus, de 47 anos, resumiu os últimos 77 dias, sem ver uma no sul-mato-grossense. Apaixonado pelo animal selvagem, há quatro anos trocou a vida de chef de cozinha no para rastrear o felino e mostrá-lo aos turistas de todo canto do mundo. Neste último flagrante (veja vídeo abaixo), ele e mais onze pessoas a avistaram no Rio Abobral, dentro da Fazenda Santa Clara.

Onça no Pantanal de MS. (Elias Tanus/Arquivo Pessoal)

“Foi um encontro maravilhoso. Estava eu e mais 11 turistas. Era o nosso passeio da tarde, então, foi um presente de Deus. É um passeio que dura, em média, duas horas e meia a três. Em seguida, iríamos na focagem noturna para rastrear onças. E saímos umas três e meia, há uma semana, quando avistamos a onça por volta das 16h20”, contou ao Jornal Midiamax o guia turístico.

De acordo com Tanus, o trabalho de localizar onças é minucioso e precisa de muita dedicação e disciplina. “A gente trabalha em uma raio de mil km ao mês procurando e eu já estava há 77 dias sem ver, então, eu já estava agoniado. Mas, é sempre importante lembrar de manter a distância segura de animais selvagens”, finalizou.

Veja o encontro do grupo com a onça:

Leia também:

FOTOS: Pela primeira vez em oito anos, onça-pintada é avistada em ‘paliteiro’ na Serra do Amolar

Nasceu de novo: pescador é pego de surpresa e briga de faca com onça na beira do rio Coxim

Saiba Mais