Já ouviu aquela máxima: “Ah, se eu pudesse falar tudo o que eu penso, estaria preso ou morto”. É bem isso que faz Tom Hanks no O Pior Vizinho do Mundo, em cartaz nos cinemas. Rabugento, mau humorado e o “sincerão” que todo mundo queria ser, ao menos por um dia, fala verdades na cara dos vizinhos e das pessoas com quem interage, porém, o que era para nos dar ódio nos faz conhecer um ser humano único, “preso” ao passado, apaixonado e extremamente sábio.

Pontualmente, às 5h30, Otto, nome do protagonista, acorda para verificar cada detalhe da vizinhança. Ao ser cumprimentado pelos vizinhos, “vira os olhos” e faz questão de reforçar que não quer amizade com ninguém, apenas que as regras sejam cumpridas e aí se depara com animal que faz necessidades fora do local, veículos que circulam no condomínio sem permissão, cancelas abertas, ao ponto de implicar até com a vestimenta das pessoas.

Ao sair de casa, a rabugentice continua e ele briga, em uma loja de utilidades, por conta de trinta e três centavos, alegando que não vai pagar porque não levou dois metros de corda e sim em tamanho picado. Manda chamar o gerente e lá escuta a mesma coisa que os vizinhos também falam: “Velho chato e mau humorado”.

No serviço, já na festa de despedida, após anos de colaboração como engenheiro, deixa bem claro que odiou a surpresa, principalmente o bolo com a cara dele e o momento em que os colegas dizem que vão sentir falta. Sem cerimônia, vai embora e deixa o pessoal sem palavras.

Ao voltar para casa, pede o corte da luz – arrumando outra briga por telefone – e mostra que a corda que comprou era para fazer uma artimanha e se matar. No entanto, não dá certo e inclusive as próximas tentativas mostram que o Otto tinha muito a viver ainda.

Vida surpreende com a chegada de novos vizinhos

É neste momento que a vida surpreende e uma pessoa, presa ao passado, que levava flores, sentava no cemitério e ficava horas conversando com a finada esposa, conhece novos vizinhos. A personagem central ao lado dele é Parvaneh, que está e chega com as filhas e o marido.

Em certo momento, acidentalmente, as cartas dela vão parar na caixa de correio de Otto e aí eles já começam a interagir. A amizade inesperada começa e o velho rabugento chega a abrir um leve sorriso saboreando as comidas dela. O filme então vai mescando comédia, drama e a importância do amor para cura de traumas.

Otto então se torna uma pessoa útil, ajudando os novos vizinhos e até se reconciliando de antigas mágoas, com outras pessoas que conhecia antes. É desta forma que ele passa a ajudar pessoas ao redor e é até procurado por uma jornalista, ao viralizou na internet por uma boa ação.

Tá chegando no fim e eu não posso contar. Aqui naõ tem spoiler, apenas “spoilerzinhos” de um filme reflexivo e surpreendente, uma boa pedida neste início de ano e que traz uma lição para a vida inteira! Vale muito a e fica em cartaz nos cinemas de Campo Grande, neste mês de fevereiro.

Atuação de Tom Hanks

Ator e cineasta americano, Tom Hanks é conhecido por papéis cômicos e dramáticos, como em Forrest Gump, Toy Story, Xerife Woody, O Código da Vinci e o inesquecível Náufrago, sendo que agora vive um viúvo rabugento e muito apegado ao modo de vida que estabeleceu para si, o que inclui vigiar os vizinhos “24 horas”. São ao todo 40 anos de carreira e 97 filmes lançados.

Leia também:

#MidiaMAISviu: Cinebiografia de Whitney Houston devolve dignidade à diva com ‘altos e baixos'