Eu não tinha nem “tamanho de gente”, como diria a minha avó, quando o sequestro de passageiros do Voo 375 ocorreu, em 1988, enquanto fazia o trajeto de Rondônia ao . Na época, o Brasil passava por crise econômica e o presidente era José Sarney, sendo ele o alvo de Raimundo Nonato Alves da Conceição, que planejou um atentado ao Palácio do Planalto.

Baseado em fatos reais, o filme que está em cartaz impressiona pela plástica ao nos fazer mergulhar na década de 80, além de mostrar o heroísmo do piloto, domínio de uma mulher em meio ao caos e também revelar “informações bombásticas”, como o fato do crime brasileiro ser estudado até por Osama Bin Laden, antes do ataque às torres gêmeas.

O filme começa mostrando o piloto chegando ao aeroporto com a família, após um período de férias. Em seguida, a movimentação rotineira do local e os passageiros embarcando no voo 375. Ao mesmo tempo, vai para a realidade da família de Nonato, em Coroadinho, no Maranhão. Em certo momento, ele liga para a mãe e pergunta sobre a filha, que está aos cuidados da idosa. Também diz que está com saudade e promete mandar e retornar em breve.

Sequestrador vai até cabine e exige mudança de rota

No entanto, frustrado, desempregado e descontente com as supostas promessas de melhora por parte da presidência, planeja o crime. Nervoso a todo momento, anuncia o sequestro e um integrante da tripulação tenta impedir, mas, é atingido por um tiro. Assim que consegue acesso a cabine, exige que a rota seja desviada para .

Trechos do filme em de Campo Grande. (Graziela Rezende/Jornal Midiamax)

O piloto perde a direção automática, já que outros atingiram ali e começa a negociar com o criminoso. Pergunta se é dinheiro que ele quer, quando escuta que a intenção dele era “derrubar o avião em cima do Palácio e matar o Sarney”. Naquele momento, o Cindacta (Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo) já tinha percebido algo errado e tenta entender alguns códigos do piloto.

Em pouco tempo, cinco caças saem rumo à Brasília e a servidora do Cindacta pede permissão para negociar com o sequestrador. Enquanto a base de Anápolis autoriza a missão, a servidora vai para ao Aeroporto de Santa Genoveva para continuar conversando com o sequestrador. A conversa se estende entre os envolvidos, para saber se fariam o abate comercial em um avião com mais de 100 pessoas ou tentariam continuar a negociação.

A cenas finais prendem a atenção a todo momento, em um sequestro que se estendeu por oito horas. Quem aí iria imaginar que o caso brasileiro seria estudado pelo terrorista Osama Bin Laden, antes do ataque às torres gêmeas? E o ato heroico do piloto, que fez inúmeras manobras no ar, foi reconhecido? Sem dar spoilers, será necessário assistir o filme em cartaz nos cinemas brasileiros. Em Campo Grande, as três redes de cinema – UCI, Cinemark e Cinépolis, estão exibindo o filme em diversos horários.

Leia também:

MidiaMAIS viu: ‘Napoleão’ tem vida épica ao ser estrategista em guerras, mas perde batalha no amor