Desde que Gaby, a sucuri antissocial do Bioparque Pantanal, passou a dividir seu tanque com novos animais, campo-grandenses que souberam da informação e visitantes que viram os novos habitantes dividindo o recinto com a cobra passaram a se questionar: “ela não vai comer eles?”

A dúvida parece lógica, já que a cobra é conhecida por ser uma voraz predadora. Mas, o Bioparque Pantanal esclarece a questão e garante que Gaby não se alimentará dos peixes que agora moram junto com ela.

De acordo com o complexo de aquários, as sardinhas-de-água-doce e o peixe-cachorro foram colocados no recinto de Gaby para que a sucuri fique ainda mais próxima do ambiente natural.

“Como a espécie nada bastante nos rios, tem contato com esses animais. Eles fazem parte do ecossistema que ela habita. Eles também foram colocados para causar estímulos de comportamentos naturais”, explica ao Jornal Midiamax Carla Kovalski, Bióloga-chefe do Bioparque Pantanal e responsável pelo bem-estar dos animais do complexo.

“Nenhum tipo de ameaça”

Em relação à alimentação, a bióloga do Bioparque diz que os peixes são muito pequenos e, por isso, a sucuri não tem interesse em se alimentar dos mesmos.

“Também não condiz com seus hábitos alimentares. A sucuri tem hábito de se alimentar de pequenos mamíferos, aves e alguns outros répteis. Os peixes não correm nenhum tipo de perigo, de ameaça, eles estão no local para o recinto ficar ainda mais próximo do natural”, garante Kovalski.

Veja os novos companheiros de Gaby, anunciados nesta quarta-feira:

Dividindo o recinto

O tanque da sucuri Gaby, no Bioparque Pantanal, ganhou novos ilustres moradores. Mas se engana quem pensa que chegaram novas sucuris para conviver com a “rainha” do aquário. Na realidade, são pequenos peixinhos que agora vão fazer companhia para a solitária e antissocial cobra em seu recinto.

A novidade foi anunciada pelo Bioparque Pantanal nesta quarta-feira (25). Como o tanque de Gaby é dividido entre uma parte seca e outra alagada, o espaço de água agora também é aproveitado por sardinhas-de-água-doce e um peixe-cachorro, que têm nada menos que uma famosa e polêmica sucuri como dona do recinto.

Alimentação da sucuri Gaby

Segundo o profissional do Cras (Centro de Reabilitação de Animais Silvestres) do Imasul (Instituto de Meio Ambiente de MS), a sucuri-verde (Eunectes murinus) Gaby é “boa de garfo”. “Come muito de uma vez. São vários ratões. De quatro a cinco ratos grandes entre 10 e 15 dias”, revela o profissional.

A boa alimentação também garante que Gaby não tenha interesse nem fome o suficiente para comer seus novos colegas de recinto.

Fale com o Midiamax

Tem alguma denúncia, flagrante, reclamação ou sugestão de pauta para o Jornal Midiamax? Envie direto para nossos jornalistas pelo WhatsApp (67) 99207-4330. Acima de tudo, com sigilo garantido por lei.

Acompanhe nossas atualizações no Facebook, Instagram e Tiktok.