Após 14 meses de restauro, a Casa do Artesão abre as portas para a população com de peças feitas por mais de 800 expositores. A entrega e retomada das atividades acontece oficialmente neste domingo (19), em .

Em coletiva de imprensa, o secretário da Setescc (Secretaria de Estado de Turismo, Esporte, e Cidadania) Marcelo Miranda destacou que o restauro aumentará o fluxo de turismo do local. “Sem dúvida nenhuma colabora para aumentar nosso fluxo de turistas, gera renda na vida dos artesãos que tem um papel tão importante na cultura de MS”, disse.

O diretor-presidente da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, Max Freitas, ressaltou que o prédio representa “100 anos de história, de preservação, de cultura”. Assim, lembrou que o local onde se instala a Casa do Artesão foi a primeira sede do Banco do Brasil.

Sobre a reabertura, o diretor-presidente afirmou que mais de 800 expositores tomaram conta do espaço com peças artesanais. Contudo, disse que os artesãos precisam de mais reconhecimento. “O profissional da área da cultura tem que cada vez ser preservado, nós não fazemos bicos, nós somos profissionais de cultura”, destacou.

Restauro é sonho realizado

Durante os 14 meses foram realizados processos de execução do projeto, sonhado desde 2007. A gerente de artesanato da Fundação de Cultura de MS, Katienka Klein, destaca a trajetória até a restauração.

“Em 2007 a gente já começou com o gestor, a casa tem necessidade de restauração, está com infiltração. Mas foi somente em 2015, em 2016, que o Governo do Estado disse que iria bancar”, lembrou. Segundo ela, o restauro significa que o “dinheiro foi investido para os artesãos sul-mato-grossense”.

Além disso, contou que o setor é o terceiro maior do Brasil. “Hoje a gente tem cadastrado mais de 8 mil artesãos, a gente considera o artesanato o terceiro maior PIB do Brasil”, explicou.

Assim, reforçou a entrega da Casa, que acontece no mesmo dia em que se comemora o Dia do Artesão. “Nós conseguimos fazer todos os anos a semana do artesão, somente em 2020 que tivemos que cancelar devido a pandemia”, informou.

Oficinas nas escolas, rodadas de negócios e feira no Círculo Militar acontecem durante a semana do artesão. O evento é gratuito.

Projeto e execução

A arquiteta responsável pela obras, Cláudia La Picirelli, destaca que o projeto começou há oito anos atrás. “Esse projeto começou em 2015, não tinha recurso para executar a obra. Aí que entra a gerência de patrimônio cultural”, explicou.

Então, a responsável pelas obras afirmou que o prédio é dos artesãos. “A entrega é no dia do artesão, em que é comemorado, eles tem um carinho muito grande”, comentou.

Para Antônio Sarasá, do Estúdio Sarasá — responsável pelo restauro da Casa do Artesão —, as obras refletem trabalho conjunto com artesãos e aldeias de MS. “A mesma forma do tijolo é a forma que usam no artesanato. Aqui além de uma casa, a gente vai entregar um templo”, disse.

Por fim, ele afirmou que o prédio vai “muito mais do que a matéria, trabalhamos aqui com o espírito e alma dos artesãos”.

Saiba Mais