A morte sempre surpreende. Independentemente da idade ou do estado de saúde, quem vai embora deixa todos a sua volta impactados pela partida. E se a morte bate à porta de quem, mesmo aos 74 anos, trabalhava no mesmo ritmo dos recém-formados, aqueles cheios de gás que ingressam no mercado de trabalho, o fim da vida é ainda mais surpreendente.

E é assim que estão os colegas e amigos de Ciro de Oliveira, o veterano da comunicação de que morreu vítima de uma parada cardiorrespiratória na madrugada desta quinta-feira (12).

Ciro passou por vários veículos de comunicação do Estado, sempre ligado ao audiovisual, foi referência em rádios e emissoras de televisão. Atualmente, Ciro trabalhava como editor na TVMS Record.

O jornalista se recusava a parar de trabalhar e de sorrir. A empolgação e o pique com a profissão era uma escola viva para quem começava no e até para profissionais experientes, que viam em Ciro um amor inigualável pela comunicação, raridade nos dias de hoje.

Em homenagem à vida de Ciro, o Jornal Midiamax traz publicações de colegas e amigos que relembram a trajetória do jornalista: