“Tudo começou em junho, quando compramos os ingressos”. Professora de Campo Grande, Juliana Minossi enfrentou um verdadeiro perrengue para conseguir remarcar a passagem de volta para casa, depois do show de Taylor Swift que assistiria no sábado (18) ter sido cancelado após a morte da fã sul-mato-grossense Ana Benevides, de 23 anos.

Juliana conta que estava no Estádio Nilton Santos (Engenhão), quando ela e mais quatro amigos de Campo Grande ficaram sabendo do cancelamento do show naquele dia. Imediatamente, o desespero tomou conta e os perrengues se intensificaram.

Mas os imbróglios da fã campo-grandense começaram mesmo desde que a turnê da artista que passaria pelo Brasil em 2020 foi adiada devido à pandemia. “Tínhamos ingressos para a turnê que não aconteceu, aí compramos antes esse ano na venda antecipada”, relata ela.

Situação complicada

A professora de 29 anos narra que, para o show de sábado (18), foi de avião ao Rio de Janeiro, mas sempre se programou para voltar a MS de ônibus. “Ficamos procurando passagens pra ir e cada um veio de um jeito, mas a volta seriam todos juntos e de ônibus porque foi o que compensou mais”, detalha Juliana, falando também dos outros fãs de MS que viveram com ela a experiência de conhecer Taylor Swift.

A preparação, conforme a fã, foi “desde o orçamento, looks, preocupação com estadia e alimentação. Pensamos e pagamos Uber para nos levar e deixar lá”, diz ela. Por isso, quando soube do adiamento, dentro do Engenhão, enquanto aguardava o show de Taylor Swift, o baque foi grande e Juliana começou a chorar.

“Até agora não consegui colocar em palavras o que estou sentindo… não era assim que eu queria lembrar desse dia”, lamenta.

Vai dar certo, espera fã de Taylor Swift

Apesar disso, ela respirou fundo e conseguiu estender a estadia para acompanhar com os amigos a apresentação remarcada para esta segunda (20).

“Vamos sim assistir ao show hoje, esperando que dê tudo certo. Tivemos dificuldade em encontrar passagem de volta por conta da alta procura. Perdemos um ingresso, pois um amigo teve que voltar e a organização fez um esquema absurdo de reembolso”, detalha.

O desafio agora é conseguir voltar para casa. “Não tem ônibus pra voltar. Passagem de avião nas alturas. Pelo menos estamos vivos e seguros”, desabafa a sul-mato-grossense, em referência aos fãs de MS que morreram no Rio de Janeiro em viagem para assistir à turnê de Taylor Swift.

Show de Taylor Swift adiado e prejuízos: o que fazer?

As companhias aéreas Azul, Latam e Gol anunciaram que não cobrarão taxa extra para remarcar passagens de clientes afetados pelo adiamento do show da cantora Taylor Swift, que aconteceria no sábado (18), mas foi remarcado para esta segunda-feira (20).

Além disso, a organização do evento também informou como será o procedimento para reembolso dos fãs que não puderem ir no show na nova data. Confira aqui as orientações completas do que fazer caso tenha saído no prejuízo por conta do adiamento.

Procon entrou no caso

O Procon do estado do Rio de Janeiro orientou fãs sobre os direitos após a mudança de data do show e avisou que os clientes têm o direito a receber o valor total pago pelo ingresso.

“Consumidores que tiveram despesas com hospedagem, transporte ou pacotes de viagens relativos ao show e ingressarem no Procon-RJ terão seus casos analisados individualmente”, disse o órgão em nota.

Qualquer fã de Taylor Swift que eventualmente encontre dificuldade de solução para o problema, poderá procurar o Procon-RJ em qualquer dos canais de atendimento, que podem ser consultados no site procon.rj.gov.br.

Fãs de MS que estavam no Rio para show de Taylor Swift morreram

Após adiar o show de sábado (18) em decorrência da morte de uma fã, a cantora Taylor Swift retornou aos palcos no Estádio Nilton Santos (Engenhão), na noite deste domingo (19), sem mencionar os fãs sul-mato-grossenses mortos no Rio de Janeiro nos últimos dias. As informações são do Jornal O Globo.

Taylor Swift, conforme O Globo, optou por não citar Ana Benevides (natural de Sonora, MS), que teria passado mal no estádio devido às altas temperaturas e, em seguida, veio a óbito. A estrela internacional também não falou de Gabriel Mongenot, jovem de Campo Grande que estava no Rio para o show da cantora quando foi assassinado a facadas na madrugada de sábado (18) para domingo (19).

Apesar disso, Taylor Swift incluiu em sua turnê “The Eras”, uma canção que não estava prevista na setlist. De acordo com O Globo, ao retornar aos palcos, ela surpreendeu o público ao cantar “Bigger Than the Whole Sky” (Maior que o céu inteiro, em tradução livre).

A integração da música no repertório foi interpretada como uma homenagem aos fãs sul-mato-grossenses que morreram no Rio de Janeiro.

“Adeus, adeus, adeus / Você era maior que o céu inteiro/ Você era mais do que um curto período de tempo / E eu tenho muito o que lamentar / Tenho muito o que viver sem / Eu nunca vou saber”, diz um trecho do single, do álbum Midnights (2022).

Relembre os casos: