Nenhum detalhe foi ignorado: calça tática, coturno, camiseta com brasão policial e, é claro, um lacinho na cabeça porque “ninguém é obrigado”. É assim que Maria Helena chegou de surpresa, nessa sexta-feira (3), no Dracco (Departamento de Repressão à Corrupção e ao Crimes Organizado), em Campo Grande. Neta de um investigador, que é apaixonado por ela, a família decidiu fazer uma surpresa e comemorar o “mêsversário” no local, com direito a sessão de fotos até no helicóptero, exposto na sede como símbolo de combate ao narcotráfico. 

“Meu sogro é Investigador da Dracco e o sonho dele e da minha sogra sempre foi ter uma filha menina, porém, só vieram homens. Quando eu engravidei, descobrimos que era uma menina, ficamos todos em êxtase, amando tudo o que estava acontecendo. E como meu sogro sempre quis ter uma neta, ele perguntou se podia ser Maria o nome dela e eu complementei o Helena, que faz parte do nome da minha mãe, ficando Maria Helena”, relembrou a mãe, a empresária Tainá de Souza Hoff, de 26 anos. 

Mãe fala que a menina “saiu a cara do sogro e do namorado”

Investigador com a neta na delegacia, em Campo Grande. Foto: Tainá Hoff/Arquivo Pessoal

Quando a bebê nasceu, Tainá fala que ela “saiu a cara do sogro e do namorado”, o também empresário Jordy Dias Pereira, de 28 anos. “Ele é apaixonado mesmo por essa neta e todo mês fazemos o mesversário. Neste agora, de 8 meses, eu já tinha conversado com a Jordy a respeito de fazermos com o tema da polícia, para homenagear o avô paterno dela e aí deu certo”, comentou. 

Ao falar do sogro, Tainá se derrete. “Ele é muito especial na minha vida. Eu o considero igual a um pai. É uma pessoa que sempre me ajudou e puxou minha orelha também. Fico muito feliz em poder retribuir o carinho que ele tem por mim e pela minha filha de alguma forma. O pessoal da delegacia também é muito querido. Todo mundo lá. A dra. Medina também tem um carinho especial pela minha filha”, argumentou. 

Empresária contou com ajuda de investigadora para confeccionar uniforme

Bebê fazendo fotos no helicóptero, na sede do Dracco. Foto: Tainá Hoff/Arquivo Pessoal

Dias antes, a empresária falou que entrou em contato com uma investigadora e mandou fazer a vestimenta. “O uniforme operacional ficou completo exatamente como é o deles. Foi tudo uma surpresa. De início, pensei em fazer somente a camiseta, mas, conversei com essa policial e a avó dela é costureira. Elas disseram que também dava pra fazer a calça e me ajudaram com tudo”, argumentou. 

Equipe se comporta como família e não somente colegas de trabalho, diz delegada

Delegada com a Maria Helena. Foto: Tainá Hoff/Arquivo Pessoal

Ao falar da visita surpresa, a delegada Ana Cláudia Medina, titular da unidade policial, ressaltou que todos na delegacia se comportam como uma família e não somente colegas de trabalho.

“A visita da Maria Helena foi motivo de muito orgulho e até emoção aqui pra gente. Aqui no Dracco nós temos uma rotina muito extensa e que ocasiona diversas ausências dos nossos familiares. Não tem dia, não tem hora, não tem lugar, então, quando há a necessidade da nossa atuação, somos obrigados a nos abster de estar em família e cumprir nossa missão”, disse.

Desta forma, Medina fala que a Maria Helena é amada e querida por todos da delegacia. “Ela retrata, na verdade, tudo aquilo que a gente acredita e representa todos os integrantes e familiares do Dracco. Estamos sempre por perto, brindando a vitória um do outro e dividindo as conquistas e as dificuldades. No caso da Maria Helena, acompanhamos a gestação, nascimento e agora todo o desenvolvimento dela”, afirmou a delegada.

O avô, de 48 anos, que possui 26 anos de experiência no meio policial, ressaltou que demorou a acreditar na surpresa e ficou muito emocionado. “Todo mundo se escondeu e, de repente, aparece minha esposa, meu filho e minha nora. Foi muito especial. Lembrei muito do momento antes dela nascer, quando eu rezava para ser uma menina”, finalizou.