MidiaMAIS

Yeltsin volta para Campo Grande e é tietado no aeroporto após Tóquio

Carreata em celebração às medalhas de ouro de Yeltsin nas Paralimpíadas acontece na manhã desta quarta em Campo Grande

João Ramos Publicado em 08/09/2021, às 08h50

Algumas pessoas que receberam o campeão olímpico assim que ele pousou em MS
Algumas pessoas que receberam o campeão olímpico assim que ele pousou em MS

A chegada do paratleta campo-grandense, Yeltsin Jacques, em Campo Grande, foi repleta de emoção. Após brilhante passagem e desempenho nos Jogos Paralímpicos de Tóquio, Yeltsin voltou para sua terra na noite desta terça-feira, dia 7 de setembro, feriado nacional da Independência do Brasil.

Ele chegou por volta das 23h50 e, no Aeroporto Internacional de Campo Grande, uma recepção calorosa com direito a fãs e banda dos bombeiros o esperava. Assim que passou pela porta do desembarque, o Corpo de Bombeiros começou a tocar o clássico tema de abertura do Esporte Espetacular.

Em seguida, aplausos e tietagens agraciaram o atleta e o acolheram assim que pisou em solo sul-mato-grossense. Muita gente foi garantir sua foto com o medalhista de Tóquio para postar nas redes sociais.

Imediatamente, assim que deixou o aeroporto, uma breve carreata foi puxada pelos bombeiros, que levaram o campeão olímpico em cima da viatura. O evento com os carros estava marcado para a manhã desta quarta-feira (8), mas teve uma prévia na noite de ontem.

O movimento oficial tem início às 9h de hoje, com saída no Horto Florestal, na Avenida Ernesto Geisel. "Para celebrar as conquistas dele", declarou a companheira de Yeltsin sobre a carreata. O percurso segue a rua 26 de Agosto, travessa José Bacha, ruas Sete de Setembro, 14 de julho, Marechal Rondon, 13 de maio e avenida Afonso Pena.

A primeira parada será na Prefeitura, onde terá encontro com o prefeito Marquinhos Trad, por volta das 10h. Posteriormente, a procissão de veículos chegará à Governadoria, no Parque dos Poderes, às 11h. O paratleta campo-grandense será recepcionado pelo governador Reinaldo Azambuja e terá um almoço especial. 

yeltsinYeltsin Ortega Jacques foi o primeiro sul-mato-grossense a colocar medalha no peito e fez história na capital japonesa, com dois recordes quebrados. O campo-grandense garantiu o primeiro ouro do Brasil no paratletismo e o seu primeiro em Jogos Paralímpicos.

Com larga vantagem, venceu os 5.000 metros rasos da classe T11 (atletas com deficiência visual, com baixa ou nenhuma visão), ao bater o tempo de 15min13s12, melhor marca das Américas e a dois segundos do recorde mundial. 

O nome de Yeltsin estará para sempre nos livros de história que retratem o esporte paralímpico brasileiro: o sul-mato-grossense foi o responsável por conquistar a 100ª medalha de ouro do Brasil nos Jogos Paralímpicos.

Segundo ouro

Memorável, seu segundo ouro nas Paralimpíadas de Tóquio-2020 veio nos 1.500 metros rasos T11, com direito a novo recorde mundial estabelecido. O fundista terminou a prova em 3min57s60 — a melhor marca do planeta era de 3min58s37, atingida pelo queniano Samwel Kimani na Paralimpíada de Londres-2012.

O campo-grandense de 29 anos ainda tentou a terceira medalha na Tóquio-2020, na maratona da classe T12. No entanto, devido ao cansaço, Yeltsin desistiu na metade da prova, quando completou 21 quilômetros pelas ruas da capital japonesa. Na competição, o corredor teve como atletas-guia Laurindo Nunes Neto e Carlos Antonio dos Santos (Bira).

Jornal Midiamax