MidiaMAIS

“For You”: Publicitário de CG viraliza no Tik Tok com lembranças hilárias dos tempos de colégio

Com personagem esnobe e nostalgias escolares, Orlando Beraldo conquistou milhares de seguidores com seus vídeos virais na rede social.

Leandro Marques Publicado em 13/04/2021, às 07h00

None
Foto: Orlando Beraldo

Ela é terrível, a Regina George (Meninas Malvadas) da 5ª série. Exibida, ela nunca deixa de se certificar que está chamando atenção, adora dar close com seu material novo, suas canetas diferentonas e puxa saco da “Prô” como pode. Como se não bastasse, ela ainda é esnobe e não adianta pedir nada emprestado, pois sua mãe não deixa! Como um chicote, seu rabo de cavalo pode deixar alguém cego, mas ela não tem só defeitos, ela também é muito engraçada e tem muitos fãs no TIk Tok!  

Calma, descrita não vive no mundo real, mas sim foi inspirada em uma menina de carne e osso. É a personagem que o Publicitário e Mídia Social, Orlando Beraldo, 31, dá vida na rede social, o que está lhe garantindo altos números de visualizações, diversos vídeos viralizados e incontáveis aparições no “For You” (página principal) de geral. 

“O Tik Tok foi reflexo da quarentena. Eu tinha um canal no Youtube com mais duas amigas e a gente tinha meio que abandonado o canal e tava lutando pra ter ideias de vídeos novos. Aí a gente teve a ideia de fazer um TikTok e, há um ano, era pra um público bem mais jovem que a gente. A gente ia ser os “tiozões” que entraram no Tik Tok pra ver no que dava", explica. 

Dois três participantes do canal, ele foi único que pegou gosto pela coisa. Primeiro ele postava os vídeos que já tinha, foi criando outros, até que algo diferente aconteceu. “Um dia eu olhei o celular, tava vibrando muito, eu quando eu fui olhar tinha mais de 60 mil visualizações em um dos vídeos. Eu falei ‘cara, essa rede social dá um resultado bom, ela tem um alcance legal’, porque eu tinha postado um vídeo de chocolate, nada específico e me viralizou, daí eu pensei ‘vou tentar criar umas ideias novas aqui’ 

Tentando fazer outros vídeos que viralizassem novamente, o Publicitário entrou com os dois pés no app, experimentou vários efeitos, outras tendências, até que... “Tem um tal de um efeito que é um gatinho amarelo, que você coloca onde você quiser e vai puxando. Eu fiz da janela de casa e fui puxando ele lá de longe. Esse vídeo em 3 dias bateu 6 milhões de visualizações. Fui fazendo vídeos nesse estilo e o mais visualizado deles está com 21 milhões de visualizações”, conta. 

O Tik Toker está em pleno crescimento de alcance, seus seguidores hoje somam quase 900 mil seguidores e mais de 60 milhões de visualizações mensais. Seus vídeos também estão nos reels do seu perfil no Instagram.    

“Minha Mãe Não Deixa” 

Sua personagem mais famosa e viralizada é a menina esnobe dos tempos de escola, daquele tipo de menina que todo mundo já estudou junto e indentifica na hora. Fora isso, Orlando também trabalha as memórias afetivas de nossa infância, desde o jogo de elástico, passando pelo estojo automático, os materiais escolares bafônicos e muito mais. Taí, caiu como uma luva no gosto dos Tik Tokers, coisa que tem refletido em suas outras redes sociais, como o Instagram, onde ele já passou dos 10 mil seguidores, com uma ajudinha de sua personagem no “app vizinho”. Confira nosso papo:  

Como aconteceu a ideia de fazer esse tema de vídeos? 

Queria fazer algo diferente. Como publicitário falei ‘não quero ficar só nisso’ e fui tentando buscar outras alternativas que me tornasse conhecido. Aí comecei a estudar outras possibilidades e encontrei um perfil no Tik Tok gringo, de um menino tailandês, mas que mora nos EUA. Peguei o vídeo dele e traduzi do inglês pra português e o vídeo bombou: em dois dias deu 2 milhões de visualizações, então eu falei ‘ah, é isso que eu vou fazer’. 

Traduzi mais uns quatro vídeos dele, só que conforme eu traduzia e postava, as pessoas começaram a dar outras ideias da nossa época de escola.  Aí eu parei de traduzir os vídeos dele e passei a responder os comentários que o pessoal pedia, tipo, ‘ah, faz vídeo quando a gente chega com o braço engessado, de quando a gente chegava com o uniforme novo...’. Com as ideias dos seguidores, começou a vir outras em minha cabeça. 

Você era essa pessoa? Em quem se inspirou? 

Acredite ou não, eu era completamente diferente desta personagem. Mas tinha uma amiga (que aliás nos falamos esses dias), que  lembro das situações que passava com ela na escola. Ela era essa menina, a menina “a minha mãe não deixa”, essa parte veio de uma lembrança que eu tive, na cantina, eu pedi um pirulito dela e ela falou, "olha, minha mãe não deixa, porque senão dá sapinho", alguma coisa assim.  

Ela sempre tinha aquelas canetas ‘gel’, todo mundo queria usar naquela época, mas toda vez que pedia emprestado, ela falava “minha mãe não deixa, vai acabar a tinta e vai brigar comigo”. 

E o bordão “minha mãe não deixa” se tornou marca dela. 

O bordão pegou e agora não posso deixar de colocar nos vídeos porque todo mundo cobra. Inclusive tem os vídeos antigos que eu não colocava, aí o pessoal comenta “ah, faltou o minha mãe não deixa”. Tanto quanto a parte que a personagem está se “certificando”... “Certificando que tenho mais ovo de páscoa que meu irmão, certificando que todos estão olhando”... 

E os números que tem feito, te impressiona?

Às vezes fico muito surpreso com tudo, mas como fui crescendo aos poucos, meio que fui me acostumando porque não foi de um dia pro outro que “boom”, 5 milhões de views. Mas quando eu olho o número de seguidores, quase 900 mil, eu penso “caramba, quando é que pude imaginar que eu teria 900 mil seguidores, por uma bobeira que eu faço, a vergonha que eu passo na internet”. Isso me impressiona. 

E os 60 milhões de views mensais? Conseguiria imaginar? 

Quando eu olho a análise do app, às vezes eu entro lá pra olhar a análise do mês, e vejo “60 milhões de visualizações nos últimos 30 dias”, eu fico muito chocado. Eu como Mídia Social, ver esses números em uma conta que é minha é inexplicável. Pontua

Jornal Midiamax