MidiaMAIS

Em expansão mundial, cryptogames apresentam novo mundo de investimentos a MS

Segundo especialistas, os adeptos dos cryptogames cresce de forma singela no Estado. Mesmo assim, a expectativa é que o número aumente

Nathália Rabelo Publicado em 13/10/2021, às 15h50

Atualmente, o jogo 'Axie Infinity' é o mais famoso da modalidade
Atualmente, o jogo 'Axie Infinity' é o mais famoso da modalidade - Foto: Reprodução/Axie Infinity

A popularização das criptomoedas realmente desbloqueou uma série de oportunidades digitais envolvendo dinheiro, fluxos e investimentos. Essa expansão atingiu, inclusive, o campo das artes e deu vida ao segmento denominado criptoartes, obras de arte digitais autenticadas e exclusivas. Mas agora, os novos patrimônios que estão em grande expansão mundial são os cryptogames, ou melhor, os cryptojogos. Apesar de forma modesta, eles já conquistaram certo público em Mato Grosso do Sul e revelam um novo jeito de vivenciar os jogos digitais.

Da mesma forma que as artes, os cryptogames funcionam por meio de um NFT, um token não-fungível. No caso, ele que garante a originalidade de um produto digital, um “selo criptográfico” vinculado a uma peça e que não pode ser replicada. Na prática, as NFT’s de jogos eletrônicos são produtos autenticados e comprados dentro do próprio game, como as famosas skins, personagens, ferramentas e tudo que pode ser comprado dentro desses universos. Com o token, esses produtos se tornam únicos.

Além disso, a base do NFT está na plataforma blockchain, pois nela pode-se rastrear a troca de informações na Internet, criando uma rede de blocos entre os envolvidos em diversos servidores diferentes. Se um jogo está nesta plataforma, ele tem a possibilidade de gerar capital.

Ficou curioso(a) com os avanços desse novo mercado? Hoje, o Midiamax trouxe o Tiago Seiti Fugishima, desenvolvedor de sistema e também adepto dos cryptogames em Campo Grande, e o Fabiano Nagamatsu, Aceleradora Inova UNIGRAN, líder Alumni do Inovativa Brasil e avaliador do Shark Tank Brasil, para responder às principais dúvidas desse mercado em ascensão mundial.

01. Como a febre dos cryptogames começou?

Segundo Fabiano Nagamatsu, a febre dos cryptogames começou com a expansão da variedade das criptomoedas no mundo, especialmente após o surgimento do NFT (Non-Fungible Token). Ele ainda destaca que esse boom é amplamente impulsionado por conta do prazer da disputa e da competição.

“Competir a partida de um jogo online com pessoas em diferentes lugares já é gratificante, imagina ganhar cryptogames como recompensa? O mercado de game fechou uma receita de US$ 2,3 bilhões (cerca de R$ 12 bilhões) no primeiro semestre de 2021. Os cryptogames contribuíram para este impulsionamento juntamente com o momento em que passamos: a pandemia”, explicou o especialista ao Jornal Midiamax.

02. Como eles funcionam?

Tiago Seiti Fugishima está há cerca de dois meses jogando o “Axie Infinity”, o cryptogame mais famoso da atualidade e que gera a moeda “AXS”. Ele explica que a capitalização dentro do game funciona de duas formas: a primeira, é com a aquisição de uma propriedade virtual (NFT) que pode valorizar a longo prazo. A segunda, pensando em ganho mensal, é com o giro da criptomoeda durante o desempenho das partidas.

“O jogo é com base em NFT, a propriedade são elementos daquele jogo que você pode comprar. Ali, você vai ter coisas que você pode comprar dentro do jogo e vai conseguir declarar que aquilo é propriedade sua. Além disso, esses jogos também são vinculados em uma blockchain, uma segunda maneira de você conseguir capitalizar dentro desse jogo. Então tem a parte que é jogar e que aos poucos você vai conseguir juntar uma moeda digital, uma criptomoeda. E essa criptomoeda também vai variar com o mercado”, contou Tiago.

Os jogadores podem trocar essas moedas digitais por beds, acessórios dos jogos ou converter em dinheiro e sacar. Um dos maiores mercados da atualidade, os games estão se atualizando para que, além de uma mera diversão em competição, os jogos sejam também uma forma de investimento em capitais por meio das criptomoedas.

03. Os cryptogames são vantajosos?

Para o mercado de jogos, a vantagem é de que gera mais competitividade e engajamento dos gamers, pois coloca a cryptogame como recompensa de acordo com o desempenho.

Para os jogadores, o cryptogame é um fator motivador em se dedicar mais nas competições. “Se tornar um gamer não é apenas mais uma diversão. Virou uma profissão. Nos EUA, por exemplo, as universidades oferecem bolsas de estudos para jogadores de games. Os cryptogames engaja mais o jogador, pois gera uma competitividade em colecionar os ativos digitais e serem listados em Rankings”, explica Fabiano.

04. É um investimento seguro?

Fabiano garante que os cryptogames são seguros, uma vez que utilizam tecnologia blockchain. No entanto, é preciso ter cuidados no armazenamento e nas fraudes de transações entre jogadores e carteiras de crypto.

[Colocar ALT]
Jogos movimentam carteiras digitais (Foto: Reprodução)

O mesmo é reforçado por Tiago. Segundo o desenvolvedor de sistemas, é preciso estudar bem antes de escolher em qual lugar vai deixar o seu dinheiro.

“Você tem que analisar em qual jogo está entrando e o quanto precisa investir, porque cada jogo vai ser um. Pode ter um jogo que vai quebrar muito rápido e outro que não, isso vai depender de como os desenvolvedores vão tratar as questões do jogo e as decisões operacionais como empresa, porque isso vai determinar os preços das ações. Então, antes de você entrar, acompanhe a empresa por, pelo menos, um mês”, adverte.

05. Como é o mercado em MS?

O mercado de Mato Grosso do Sul está em constante aquecimento quanto aos torneios e ligas de games multiplayers da atualidade. No entanto, os adeptos dos cryptogames cresce de forma modesta na região.

“Os cryptogames são novidades no mercado de games, os principais games estão em fase de adaptação para lançar suas criptomoedas”, explica Fabiano. O mesmo é confirmado por Tiago, que conhece poucas pessoas do Estado que aderiram aos jogos como ele. Isso acontece por ser uma área extremamente nova.

“Hoje o mercado é imaturo por causa da incerteza de retorno e porque ainda é muito novo. Mesmo que você seja um investidor experiente, mesmo que você vai investir um dinheiro que não vai fazer falta, é uma modalidade de investimento muito nova. Por ela ter acabado de surgir, muitas pessoas não conhecem a modalidade. Então, tem um delay de conhecimento”, reflete Tiago. Dessa forma, a projeção é que quanto mais os cryptogames se popularizem no Brasil, o mesmo ocorra na região sul-mato-grossense.

Dicas para iniciar nos cryptogames

Se você chegou até aqui e tem muita vontade de se aventurar no universo dos cryptogames, os entrevistados ainda fizeram uma lista de dicas importantes antes de começar de forma segura e, claro, divertida.

Eles ainda garantem que não precisa ser um gamer experiente para se dar bem nos jogos, mas é necessário ter conhecimento em investimentos:

  1. Analise que tipo de criptomoeda está vinculada ao jogo;
  2. Veja se essa moeda tem credibilidade (se é nova ou já tem histórico no mercado; se realmente está interligada ao blockchain; valor de mercado e quais corretoras transacionam a cripto);
  3. Adquira um conhecimento básico de inglês para entender a dinâmica do jogo e como tudo funciona lá dentro, já que a maioria dos cryptogames funcionam com esse idioma;
  4. Estude o mercado e acompanhe o funcionamento da empresa detentora do game por, pelo menos, um mês.

Axie Infinity: o cryptogame mais popular da atualidade

Como você viu lá em cima, o Axie Infinity é o cryptogame mais famoso da atualidade e permite que os jogadores recebam a criptomoeda "AXS" como recompensa. Ele foi lançado inicialmente em 2017, mas foi o grande hype sobre as criptomoedas e NFTs ao longo de 2021 que trouxe o game para os noticiários da mídia internacional ao se tornar o projeto de tokens não fungíveis que mais movimenta dinheiro no mercado.

Segundo dados da plataforma de monitoramento CryptoSlam!, o Axie Infinity já contabiliza mais de US$ 2 bilhões em volume de transações de NFTs, com mais de 1,7 milhões de detentores de Axies no mundo todo. Desse montante total, US$ 586 milhões foram transacionados somente nos últimos meses.

O modelo que fez o Axie Infinity decolar foi a recompensa com criptomoedas nativas ao realizar missões diárias e competir com outros players, mais especificamente a Smooth Love Potion (SLP). Essas moedas podem, então, ser convertidas em dólares através de grande corretoras internacionais de ativos digitais, como a Binance. Porém, para se jogar Axie Infinity, é necessário fechar um time com ao menos três monstrinhos. 

Jornal Midiamax