Vídeo de sindicalista quer jogar agentes contra enfermeiros, diz Sinte

Em nota, sindicato diz que comparação é equivocada e que pretende causar revolta
| 12/02/2015
- 21:22
Vídeo de sindicalista quer jogar agentes contra enfermeiros, diz Sinte

Em nota, sindicato diz que comparação é equivocada e que pretende causar revolta

Em nota divulgada nesta quinta-feira (12), o Sinte/PMCG (Sindicato dos Trabalhadores da Enfermagem da Prefeitura de Campo Grande) se pronunciou sobre vídeo divulgado pelo presidente do Sisem (Sindicato dos Servidores e Funcionários Municipais de Campo Grande), , que compara o trabalho de agentes de saúde ao de enfermeiros.

O vídeo, de pouco mais de 1min30, foi postado no próprio perfil de Tabosa no Facebook. Nele, Marcos aparece acompanhado de um homem, identificado como Willian, e faz discurso destacando a alta temperatura na qual os agentes comunitários de saúde trabalham, fazendo comparações com o ambiente de trabalho dos enfermeiros e gerentes das unidades.

Na nota, o Sinte/PMCG diz que a comparação do sindicalista é equivocada e que ele pretende causar revolta nos agentes comunitários, além de querer “jogá-los” contra os enfermeiros: “transbordou os limites da luta dos trabalhadores da saúde”.

O Sindicato dos Trabalhadores de Enfermagem negou que aja favorecimento e ainda afirmou defender a luta dos agentes comunitários pela redução da carga horária. Confira abaixo a nota na íntegra.

O Sinte PMCG (Sindicato dos trabalhadores da Enfermagem da Prefeitura Municipal de Campo Grande) nascido em data recente e proveniente da insatisfação dos auxiliares, técnicos de enfermagem e enfermeiros no que toca a não representatividade da entidade sindical genérica denominada SISEM, vem a público por meio desta nota destacar que a suposta convocação feita pela referida entidade (SISEM) para a mobilização dos Agentes Comunitários de Saúde para ser realizada na data de 26/02/2015, e que tem como a pauta a manutenção da redução da carga horária, transbordou os limites da luta dos trabalhadores da saúde, pois é inconteste que na mídia de convocação encetada supostamente pelo Presidente do SISEM, por meio de vídeo publicado na internet, tem como fundamento o enfrentamento de duas categorias funcionais que labutam no dia a dia pela saúde do povo campo-grandense, pois ao que se vê no vídeo há uma clara tentativa de “jogar” os Agentes Comunitários de Saúde contra os servidores da Enfermagem, pois é indene que se parte de uma comparação equivocada que tem como pano de fundo a distinção das funções exercidas por estas categoriais distintas, vez que ao que se vê é a tentativa de criar um ambiente de revolta, indignação e insatisfação na categoria dos Agentes Comunitários de Saúde, como se houvesse uma escala em casta na relação de trabalho, onde estes louváveis servidores, fosse então a menor das castas do serviço de saúde e que os servidores da enfermagens seriam seus algozes.

Isto não é verdade, todos os servidores da saúde merecem o respeito mútuo pelo trabalho que exercem, e mais, para soterrar os argumentos supostamente vindos do SISEM que em seu conteúdo pretende causar uma pane no serviço de saúde justamente no período de vulnerabilidade da dengue e da Chikungunya é de se asseverar que o SINTE/PMCG assim como toda a enfermagem do Município de Campo Grande é a favor da luta dos Agentes Comunitários de Saúde pela redução da jornada de trabalho de 40 para 30 horas semanais, contudo, acredita que esta luta tenha que se expressar por meio dos instrumentos legais com a edição de leis e normas que regulamentem a jornada reduzida dos Agentes Comunitários de Saúde.

A repercussão

A divulgação do vídeo causou revolta entre profissionais da saúde. As imagens mostram o sindicalista convocando os agentes comunitários para uma passeata e, durante o discurso, ele afirma que quem ocupa cargo de direção, além do pessoal da enfermagem, é favorecido com melhores condições de trabalho.

“Queremos melhor qualidade de vida pra você agente comunitário de saúde. Eu venho aqui convocar vocês pra grande passeata porque os gerentes [das unidades] e os enfermeiros estão no ar-condicionado e você agente comunitário de saúde tendo de enfrentar um sol de mais de 35ºC”, fala Tabosa.

O vídeo recebeu vários compartilhamentos e comentários nas redes sociais. Uma enfermeira da Rede Municipal de Saúde, que preferiu não se identificar, diz que as declarações de Tabosa provocam discórdia entre as categorias. Ela enfatiza que o ambiente de trabalho dos enfermeiros não é tão boa quanto sugere o presidente do Sisem.

Na internet, vários enfermeiros e agentes de saúde se manifestaram contra o posicionamento do presidente do Sisem. Questionada a respeito do assunto, a assessoria de comunicação da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde Pública) diz que o chefe da pasta não vai se posicionar a respeito do caso.

A reportagem do Jornal Midiamax também entrou em contato com o Coren/MS (Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso do Sul) e, em nota, o presidente, Diogo Nogueira do Casal, considera “inoportuna e infeliz”, a declaração feita por Tabosa.

“Lamentamos o discurso inflamado do Tabosa, que ao invés de unir forças, tenta semear a desunião, enfraquecendo a luta de todas as categorias de trabalhadores da área de saúde, o que afirmamos, sem hesitação ou qualquer receio é, em síntese, um desserviço para todos os profissionais”, observa.

A passeata anunciada pelo presidente do Sisem será realizada às 16 horas, do dia 26, no cruzamento da Avenida Afonso Pena com a Rio Grande do Sul.

“A categoria dos agentes comunitários é a que mais trabalha, entra dentro das residências, pesa crianças e não podemos deixar que sejam massacrados pelos enfermeiros e gerentes de postos. Eu defendo o servidor organizado”, disse Tabosa.

 

Últimas notícias