Geral

‘Operação Escola’ faz intervenção em vias também no fim da tarde e divide opiniões

Cones na Rua Rio Grande do Sul surpreende motoristas com a ação da Agetran

Midiamax Publicado em 08/04/2015, às 22h48 - Atualizado em 26/04/2018, às 18h00

None
img_20150408_182212.jpg

Cones na Rua Rio Grande do Sul surpreende motoristas com a ação da Agetran

Quem passou em pleno horário de pico, nesta quarta-feira (8), pela Rua Rio Grande do Sul, próximo da Rua da Paz, no Jardim dos Estados, precisou ter atenção para ver a via afinar em frente da Escola Adventista. Uma operação da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito) colocou cones na via e também na Rua Piratininga, os quais reduziram em uma faixa a passagem de carros. A medida teve a solicitação à Prefeitura pela direção da escola. 

“Esse horário é muito mais vulnerável a acidentes na saída das escolas, já que o condutor se encontra nessa altura do dia cansado e com pressa para chegar em casa.O intuito dessa operação é conscientizar os motoristas neste trecho por um determinado período, até que não seja preciso futuramente os cones. É necessário, já que eu ao instalar os cones hoje fui quase atropelado”, relata o agente Henrique. 

Durante vários dias Henrique ficará realizando a atividade na frente da escola, que tem às 17h40 o horário de maior risco para acidentes, de acordo com um estudo da Agetran. O agente atende no local com a disposição dos cones, entre as 17 e as 18h30. No caso da Escola Adventista ele conta que foi feito o pedido para supervisionamento do Trânsito no fim da tarde, diferentemente da maioria das instituições de ensino que geralmente pedem o apoio na saída dos alunos do período matutino. 

“Não gostei da intervenção e acho que até oferece maior risco a acidentes, já que encurta a rua. Pra mim não resolve a conscientização do Trânsito e só oficializa a fila dupla da escola. Os carros freiam e mudam de faixa surpreendidos, o que ainda pode oferecer risco a quem vem atrás”, diz a contadora, Flávia Alonso, que passava no local no horário.

Já a assistente social, Luiza Guimarães, que também foi surpreendida pelos cones não se manifestou contrária á operação da Agetran. Segundo ela é fundamental que se faça isso para preservar a vida de alunos e pais dos estudantes que saem da escola localizada na Rua Rio Grande do Sul. “Não só os cones, mas a presença do agente de Trânsito contribui para a organização do tráfego no local, que tem uma outra dimensão no horário de pico. Dessa vez fiquei surpresa com a intervenção, como outros motoristas, mas havendo nos outros dias com certeza o Trânsito mudará”, diz.

Jornal Midiamax