Igreja da Unificação volta a mandar no Cene, que afasta idealizador do time

Caso irá parar na Justiça e presidente eleito assume também gestão de clube paulista em Sorocaba
| 17/01/2015
- 02:40
Divulgação

Caso irá parar na Justiça e presidente eleito assume também gestão de clube paulista em Sorocaba

Pode uma pessoa administrar dois clubes de futebol? E se os dois times fores de cidades diferentes, de Estados diferentes como fica? A duplicidade é o desafio passado ao dirigente de futebol José Rodrigues, que preside o Cene desde 2007, sendo reeleito ao comando da instituição em 20 de outubro do ano passado. Junto com o ex-amigo Paulo Telles ele peitou a Igreja da Unificação, fundada pelo Reverendo Moon, após a morte do líder religioso, que desejava extinguir o time sul-matogrossense, criado após um investimento dela. A teimosia acabou e agora ele manda em dois lugares para o antigo aliado não ter voz.

“Irei entrar com uma ação na justiça a respeito dessa situação. O Cene não é da Igreja da Unificação, nunca foi. A entidade patrocinou o clube e teve como contrapartida os projetos sociais desenvolvidos. Eu fundei o time com o apoio do Reverendo Moon que sempre soube disso: a entidade esportiva tem a sua autonomia”, fala Telles que foi eleito vice de Rodrigues no final de 2014 e se surpreendeu com a possibilidade do colega também ser da Diretoria no Atlético de Sorocaba, time com influência da seita pela Paz Mundial.

José Rodrigues, que agora se divide entre Mato Grosso do Sul e São Paulo, foi procurado pela reportagem para explicar sobre a sua fórmula para dar conta das gestões no Cene e do Atlético de Sorocaba, rebaixado no ano passado para a segunda divisão do futebol paulista. O dirigente porém não foi encontrado. 

Conta Paulo, que Rodrigues tem a determinação da Igreja pela Unificação e Paz Mundial para vender o CT do Cene, o mais estruturado de Mato Grosso do Sul para conseguir dinheiro que seria utilizado no abatimento de dívidas do time de Sorocaba.

O complexo de treinamento localizado no bairro Morada do Sol, na Rua Marco Feliz, foi viabilizado com investimento de dois milhões da entidade do Reverendo Moon em 2002, com o objetivo de ser uma referência para o esporte no Estado. Alojamento, quatro campos de futebol, academia, refeitório e até um estádio posteriormente construído fazem parte da estrutura, que fez do Cene tetra-campeão em Mato Grosso do Sul, duas vezes sem a ‘ajudinha’ da Igreja da Unificação pela Paz Mundial.

Além do Cene e do Atlético de Sorocaba, a instituição colaborou para a projeção do Song Nan Il Hwa, que chegou a ser campeão da Ásia e disputar o Mundial Interclubes em 2010. Moon faleceu em 2012, deixando vários empreendimentos órfãos de sua filantropia. 

Últimas notícias