Geral

Malaysia Airlines deixará de pagar hotéis aos familiares das vítimas

A companhia aérea Malaysia Airlines anunciou nesta quinta-feira (01/05) que, a partir da próxima quarta-feira, dia 7 de maio, deixará de pagar hotéis aos parentes das 239 pessoas que estavam abordo do Boeing da companhia que desapareceu no último dia 8 de março, quando realizava a rota Kuala Lumpur-Pequim. “Em vez de estar hospedados em […]

Arquivo Publicado em 01/05/2014, às 14h21

None
24231939.jpg

A companhia aérea Malaysia Airlines anunciou nesta quinta-feira (01/05) que, a partir da próxima quarta-feira, dia 7 de maio, deixará de pagar hotéis aos parentes das 239 pessoas que estavam abordo do Boeing da companhia que desapareceu no último dia 8 de março, quando realizava a rota Kuala Lumpur-Pequim.


“Em vez de estar hospedados em hotéis, aconselhamos os familiares dos passageiros que viajavam no [voo] MH370 que recebam as informações atualizadas no conforto de suas próprias casas”, indicou a companhia aérea através de um comunicado.


A companhia ressaltou que “fechará todos seus Centros de Assistência Familiar abertos no mundo no dia 7 de maio de 2014” e prometeu manter os familiares informados sobre os trabalhos de busca do avião.


Também nesta quinta-feira foram divulgadas as últimas palavras trocadas entre os pilotos e o controle de tráfego aéreo antes de o avião sumir dos radares. A uma mensagem de rádio instruindo a aeronave a mudar para a zona aérea de Ho Chi Minh, no Vietnã, a resposta foi simplesmente “Boa noite, Malaysian três sete zero”.


O voo MH370 da Malaysia Airlines decolou do Aeroporto Internacional de Kuala Lumpur na madrugada do último dia 8 de março com 239 pessoas a bordo e previsão de chegada a Pequim seis horas mais tarde.


No entanto, após 40 minutos, o avião desapareceu das telas de controle do radar e, inclusive, teria mudado de rumo em uma “ação deliberada”, segundo as autoridades malaias, para atravessar o a península de Malaca em direção contrária ao seu trajeto inicial.


Especialistas de vários países indicaram que o Boeing 777-200 poderia ter caído no sul do oceano Índico, mas as operações de busca não encontraram nenhum rastro do aparelho até o momento.

Jornal Midiamax