Geral

Incêndio descontrolado no Chile deixa rastro de destruição e mortes

O violento incêndio que atinge o porto de Valparaíso, no litoral central do Chile, deixou até o momento 11 mortos, além de 10 mil evacuados, confirmaram neste domingo (13) fontes policiais e a própria presidente chilena, Michelle Bachelet. Ela chegou à cidade para acompanhar as operações pessoalmente. À medida que avançam as tarefas de remoção […]

Arquivo Publicado em 14/04/2014, às 11h58

None
1179686572.jpg

O violento incêndio que atinge o porto de Valparaíso, no litoral central do Chile, deixou até o momento 11 mortos, além de 10 mil evacuados, confirmaram neste domingo (13) fontes policiais e a própria presidente chilena, Michelle Bachelet. Ela chegou à cidade para acompanhar as operações pessoalmente. À medida que avançam as tarefas de remoção de escombros, é provável que o número de mortos aumente nas próximas horas.

O incêndio está sendo combatido por centenas de bombeiros e obrigou a retirada de milhares de habitantes da cidade, localizada 120 quilômetros a oeste da capital Santiago.

O incêndio, que começou no sábado, destruiu ao menos 500 moradias e levou à retirada de 5.000 pessoas, levadas para abrigos. Bachelet decretou zona de catástrofe e mobilizou as Forças Armadas para ajudar na segurança e ajudar os flagelados. Valparaíso, visitada todos os anos por milhares de turistas, conta com uma geografia complicada para o combate a um incêndio e altos níveis de pobreza

O acidente começou como um incêndio florestal em La Pólvora, mas o forte vento fez com que se propagasse para as regiões povoadas das colinas La Cruz, El vergel e Mariposas.

Dezenas de pessoas que vivem nessa área foram levadas para centros habilitados para que possam pernoitar, informou Jorge Catro, prefeito de Valparaíso, cidade portuária situada a 120  quilômetros de Santiago.

A dezenas de quilômetros é possível avistar um enorme coluna de fumaça, que está causando problemas respiratórios, especialmente na população infantil e nos idosos.

No combate do incêndio, que começou às 16 horas (horário local, mesmo de Brasília) do sábado (12) e foi crescendo à medida que a tarde começava, trabalham unidades de bombeiros, policiais, equipes aéreas e terrestres da Corporação Nacional Florestal e do Escritório Nacional de Emergência.

Na cidade de Valparaíso está reunido um comitê de emergência para coordenar as medidas de ajuda aos afetados e de extinção do fogo, que afeta a parte alta da cidade, onde a provisão de energia elétrica foi interrompida em várias ocasiões.

A maioria das casas de Valparaíso é construída com material leve, facilmente inflamável, o que unido ao vento faz com que os incêndios sejam frequentes.

Na cidade, considerada uma das mais importantes do Chile, vivem cerca de 250 mil pessoas.

Jornal Midiamax