O técnico suíço Vladimir Petkovic, 50, foi escolhido para ser o substituto do alemão Ottmar Hitzfeld, 64, no comando da seleção da Suíça após a participação da equipe na Copa do Mundo-2014. Mas o anúncio, que foi feito há 5 dias pela federação suíça, colocou Petkovic em conflito com a Lazio.

O treinador está no comando da equipe italiana desde junho de 2012, foi campeão da última Copa Itália e tem contrato até o final desta temporada

O fato de ter firmado com a seleção Suíça sem consultar os cartolas da Lazio, que só foram informados após o acerto, gerou um mal estar.

Segundo a imprensa italiana, Claudio Lotito, presidente da Lazio, ficou irritado com a atitude de Petkovic e revelou a pessoas próximas que não o queria mais no cargo e aguardaria o treinador pedir demissão. Isso não aconteceu.

Agora, os jornais “Corriere della Sera”, “La Gazzetta dello Sport” e “La Repubblica” afirmam que o treinador será demitido por justa causa. O clube usará como argumento o fato de Petkovic ter feito o acerto com a Suíça sem conhecimento da Lazio.

Os jornais apontam que o substituto de Petkovic na Lazio será Edoardo Reja, o antecessor do suíço no clube romano. Reja deve assinar um contrato de seis meses, com opção de renovar por mais uma temporada em caso de título da Liga Europa ou classificação para um torneio europeu da próxima temporada.

Oficialmente, a Lazio ainda não se pronunciou.

A equipe está na décima colocação do Campeonato Italiano, quatro posições e nove pontos distante da zona de classificação à Liga Europa. Nos últimos dez jogos, o time venceu apenas duas partidas, empatou três e perdeu cinco.

Petkovic nasceu em Saravejo, na antiga Iugoslávia, em 1963. Se naturalizou suíço em 2000 e chegou a treinar cinco equipes da Suíça antes da Lazio. Também jogou em equipes daquele país e se aposentou pelo Malcantone Agno, em 2000.

O treinador firmou com a seleção Suíça um contrato que passará a valer de 1º de julho de 2014 até 31 de dezembro de 2015. O acordo pode ser renovado em caso de classificação para a Eurocopa de 2016. Hitzfeld, que está no comando atualmente, já havia anunciado que não renovaria e deve se aposentar.