Geral

Pedido de Snowden dificilmente será atendido pelo governo brasileiro

O governo brasileiro “dificilmente” aceitará o pedido de asilo do ex-técnico da Agência Nacional de Inteligência dos Estados Unidos (CIA) Edward Snowden, informam interlocutores da Presidência. Além de haver uma predisposição em não comprar uma briga maior com o país norte-americano, o Planalto não aceita a oferta de utilizar o instrumento diplomático em troca de […]

Arquivo Publicado em 18/12/2013, às 11h26

None

O governo brasileiro “dificilmente” aceitará o pedido de asilo do ex-técnico da Agência Nacional de Inteligência dos Estados Unidos (CIA) Edward Snowden, informam interlocutores da Presidência. Além de haver uma predisposição em não comprar uma briga maior com o país norte-americano, o Planalto não aceita a oferta de utilizar o instrumento diplomático em troca de informações, como é a proposta de Snowden.

Oficialmente o governo não se pronuncia sobre o assunto, uma vez que não houve um pedido formal de asilo. Em julho, logo após o ex-técnico da CIA ter revelado documentos que comprovam a espionagem da Agência de Segurança Nacional americana (NSA), ele chegou a sondar o governo brasileiro para abrigá-lo, enquanto ainda estava confinado na área internacional do aeroporto Sheremetyevo, em Moscou. À época, o então chanceler brasileiro, Antonio Patriota, descartou a possibilidade.

Em entrevista ao Terra, David Miranda, que encabeça a campanha brasileira pelo asilo por meio da internet, afirmou que o gesto seria uma maneira de o Brasil “peitar os Estados Unidos” de maneira soberana. Segundo auxiliares, no entanto, ao cancelar a visita de Estado a Washington e ao trabalhar em favor de uma nova governança da internet, Dilma já está dando uma resposta assertiva ao tema.

Uma “carta aberta ao povo brasileiro” escrita por Snowden foi divulgada nesta terça por David Miranda, o brasileiro companheiro e colaborador do jornalista do Guardian que revelou a existência dos programas de vigilância americanos e britânicos. O documentoseria destinado às autoridades brasileiras e colocado em uma campanha on-line, pelo site da ONG Avaaz, especializada em petições.

Jornal Midiamax