Geral

Frango, porco e pães pressionam inflação em 12 meses, aponta Banco Central

As carnes de frango e de porco, junto com o pão, tiveram impacto no IPCA, índice oficial da inflação no País, em 39 pontos porcentuais de junho do ano passado a fevereiro deste ano, segundo o diretor de Política Econômica do Banco Central, Carlos Hamilton. De acordo com ele, a carne de porco teve aumento […]

Arquivo Publicado em 30/03/2013, às 17h18

None

As carnes de frango e de porco, junto com o pão, tiveram impacto no IPCA, índice oficial da inflação no País, em 39 pontos porcentuais de junho do ano passado a fevereiro deste ano, segundo o diretor de Política Econômica do Banco Central, Carlos Hamilton.

De acordo com ele, a carne de porco teve aumento de 15,17% no período, a de frango, 19,91%, e os pães, 10,73%. Ele citou os itens como exemplos de transmissão de choques agrícolas para preços domésticos. O diretor do BC conversa com jornalistas nesta quinta-feira, depois de a autoridade monetária apresentar mais cedo seu Relatório Trimestral de Inflação.

Ao fazer uma análise sobre a inflação, Hamilton disse que, de um modo geral, as leituras dos diferentes índices de inflação estão maiores em fevereiro do que há 12 meses. A exceção, segundo ele, é o índice que mede os preços de itens relacionados à construção civil. “Por trás dessa elevação, há o impacto da depreciação cambial que ocorreu no ano passado. Estimamos que o repasse para a inflação tenha sido de 6% a 7% num intervalo de 12 meses.”

Outros itens citados por Hamilton que sofreram forte impacto de eventos climáticos foram a farinha de mandioca, que registrou alta de 118% de junho do ano passado a fevereiro deste ano e foi responsável por uma elevação de 13 pontos porcentuais na inflação do período, e o arroz, que avançou 28,74 pontos porcentuais no mesmo período. “O choque desfavorável em produtos agrícolas ajuda a ver porque o cenário que trabalhávamos, e que apontava para a convergência da inflação para a meta, não se confirmou.”

Jornal Midiamax