Geral

Zé Henrique diz que Saúde é prioridade e monta equipe de transição em Aquidauana

O prefeito diplomado em Aquidauana, advogado José “Zé” Henrique Trindade (PDT), 52 anos, disse que a secretaria de Saúde é a prioridade no seu Governo, que deverá se iniciar em 1º de janeiro de 2013. A declaração foi dada, na manhã desta quinta-feira (20), durante entrevista ao vivo, na rádio Independente de Aquidauana, 135 quilômetros […]

Arquivo Publicado em 20/12/2012, às 19h49

None

O prefeito diplomado em Aquidauana, advogado José “Zé” Henrique Trindade (PDT), 52 anos, disse que a secretaria de Saúde é a prioridade no seu Governo, que deverá se iniciar em 1º de janeiro de 2013.

A declaração foi dada, na manhã desta quinta-feira (20), durante entrevista ao vivo, na rádio Independente de Aquidauana, 135 quilômetros a oeste de Campo Grande. Ele disse que montará, ainda hoje (20), uma equipe de transição, composta por três pessoas, para manter contato com a Prefeitura, atualmente administrada por Fauzi Suleiman (PMDB), que teve cassado o registro da sua candidatura e, por isso, mesmo reeleito, não foi diplomado pela Justiça Eleitoral, na tarde da quarta-feira (19).

“Um caminhão quebrado, por exemplo, na secretaria de Obras, pode ficar alguns dias sem ser consertado e isso, certamente, não causará a morte de ninguém; a Saúde, ao contrário, não pode esperar, pois tratamos das vidas humanas, do bem-estar da população; esta será a minha prioridade”, disse o prefeito diplomado ao jornalista Armando Anache.

Zé Henrique disse que, na sua concepção de administração pública – já foi chefe de gabinete do prefeito Tico Ribeiro (1989-1992), prefeito (1993-1996) e vice-prefeito (2000-2008) de Aquidauana – , o secretário de Saúde deve ser uma pessoa ligada à área, “médico ou dentista”. “Tivemos, no Brasil, um José Serra comandando o ministério da Saúde, sem que fosse profissional dessa área; no entanto, creio ter sido uma exceção”, disse o prefeito diplomado pela Justiça Eleitoral.

Para ele, o prefeito tem que estar nas ruas da cidade, vendo de perto os seus problemas e cobrando soluções imediatas. “Há que se restabelecer o princípio da autoridade, no sentido expresso do termo, sem deslumbramentos ou vaidades excessivas; o prefeito, nas ruas, tem que ver quando falta uma lajota e, de imediato, chamar o seu secretário de Obras ou uma equipe, para resolver o problema, que atinge a população”, disse Zé Henrique Trindade.

Ele ressaltou que é inadmissível, em uma prefeitura que recebe R$3 milhões por mês para a Saúde, faltar remédios na Farmácia mantida por ela, com o objetivo de atender toda a população.

Uma ouvinte perguntou se ele manteria os funcionários que passaram no último concurso público, feito pela Prefeitura de Aquidauana. “Se tudo estiver dentro da legalidade e da constitucionalidade, não haverá motivo para eu me opor aos resultados do concurso”, explicou Zé Henrique.

O prefeito diplomado disse que, durante a fase de transição de um governo para outro, até 31 de dezembro, terá o número de funcionários comissionados. Ele defende que a Prefeitura de Aquidauana não precisa ter muitos comissionados, escolhidos pelo prefeito. “Quero valorizar, acima de tudo, aquele funcionário efetivo, de carreira, pois é ele que toca a prefeitura, ano após ano.”

Sobre o “clima” tenso, existente em Aquidauana, com ofensas publicadas, muitas vezes anonimamente, em redes sociais na internet, Zé Henrique disse que não entende o por quê de tudo isso estar acontecendo. “Somos políticos e devemos ser, acima de tudo, pessoas civilizadas; os meus filhos são amigos dos filhos do atual prefeito e de algumas pessoas que integram o seu governo, não devemos incutir, nessas crianças e adolescentes, o ódio ou o rancor; tudo isso é muito ruim para Aquidauana, para o seu desenvolvimento”, disse Zé Henrique.

Perguntado pelo jornalista Armando Anache sobre os nomes da sua equipe de secretários e assessores, Zé Henrique Trindade disse que ainda não escolheu ninguém. “Deverei fazer isso nos próximos dias”, disse.

Jornal Midiamax