Geral

Vale e Capes lançam prêmio para estimular a pesquisa socioambiental

A Vale e a Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), do Ministério da Educação, vão lançar, dia 18 de junho, às 10h, no Jardim Botânico, o Prêmio Vale-Capes de Ciência e Sustentabilidade. O objetivo é premiar teses de mestrado e doutorado que apresentem ideias, soluções e processos inovadores nos temas de redução […]

Arquivo Publicado em 13/06/2012, às 18h53

None

A Vale e a Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), do Ministério da Educação, vão lançar, dia 18 de junho, às 10h, no Jardim Botânico, o Prêmio Vale-Capes de Ciência e Sustentabilidade. O objetivo é premiar teses de mestrado e doutorado que apresentem ideias, soluções e processos inovadores nos temas de redução do consumo de água e energia; redução de gases do efeito estufa (GEE); aproveitamento, reaproveitamento e reciclagem de resíduos e/ou rejeitos; e tecnologia socioambiental com ênfase no combate à pobreza. O lançamento do prêmio ocorrerá durante o fórum Desenvolvimento Sustentável: Novas Dimensões para a Sociedade e Negócios, organizado pelo Instituto Tecnológico Vale (ITV).


Uma comissão, formada por integrantes indicados pelo ITV e pela Capes, vai escolher um ganhador por tema, perfazendo oito premiados – quatro dissertações de mestrado e quatro teses de doutorado. Os autores vencedores das teses de doutorado vão receber R$ 15 mil e uma bolsa para realização de estágio pós-doutoral de até três anos em instituição nacional, podendo converter em um ano fora do país em uma instituição de notória excelência na área de conhecimento do premiado. Já os ganhadores de dissertação de mestrado receberão R$ 10 mil e uma bolsa para realização de doutorado em instituição nacional de até quatro anos.


Os orientadores também serão prestigiados. No caso do doutorado, eles vão receber um auxílio equivalente a uma participação em congresso internacional, relacionado à área temática da tese, no valor de US$ 3 mil. Já os orientadores das dissertações de mestrado eleita pela comissão Vale-Capes vão receber um auxílio de R$ 3 mil, valor equivalente a uma participação em congresso nacional em área afim ao tema escolhido pelo autor do trabalho.


O prêmio se refere às teses e dissertações defendidas no Brasil em 2011. Os critérios a serem avaliados serão originalidade do trabalho e relevância para o desenvolvimento científico, tecnológico, cultural, social e de inovação. A pré-seleção das teses e dissertações ocorrerá nos programas de pós-graduação das instituições de ensino superior. Mais informações poderão ser obtidas no site http://www.capes.gov.br.


Fórum


O fórum Desenvolvimento Sustentável: Novas Dimensões para a Sociedade e Negócios, organizado pelo ITV, vai trazer ao Rio de Janeiro alguns dos maiores especialistas em gestão socioambiental corporativa do mundo. O evento, que faz parte da agenda oficial da Rio+20, tem o apoio do Munasinghe Institute for Development (Mind), organização fundada pelo cingalês Mohan Munasinghe. Em 2007, ele foi um dos cientistas do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas da ONU (IPCC) premiados com o Nobel da Paz. O prêmio foi compartilhado com o vice-presidente dos EUA, Al Gore. Na época, Munasinghe era um dos vice-presidentes da instituição.


Entre os palestrantes convidados está o americano Mark Kramer, diretor-geral da Foundation Strategy Group, especialista em gestão socialmente responsável, liderança e impacto de investimentos. Ao lado do americano Michel Porter, Kramer é um dos criadores do conceito de “valor compartilhado”, que visa à integração das demandas sociais na estratégia de negócios das empresas.


Para discutir a aplicação de métricas e indicadores, o fórum contará com a presença do presidente mundial da Global Reporting Initiative (GRI), Ernst Ligteringen. A GRI é a organização responsável por desenvolver e disseminar diretrizes para a elaboração do modelo de relatório de sustentabilidade mais utilizado pelas empresas no mundo todo.


ITV


Instituto Tecnológico Vale (ITV) – Instituição sem fins lucrativos, criado em 2009, o ITV busca contribuir para o desenvolvimento econômico de base tecnológica no Brasil por meio da intensificação da produção de pesquisas científicas na área de desenvolvimento sustentável e mineração. Desde que foi criado, o ITV já articulou 97 convênios de P&D, fomenta mais de 50 bolsas à pesquisa e fechou parcerias com 36 instituições nacionais e internacionais, como a Embrapa, CNPq, o MIT (Massachusetts Institute of Technology) e com a EPFL (École Polytechnique Fédérale de Lausanne), da Suíça.


Além das ações em parceria para o incentivo à pesquisa, o ITV está construindo dois campi de pesquisa em Minas Gerais (Ouro Preto) e Pará (Belém). O primeiro se dedica a pesquisas na área de mineração sustentável e o segundo se concentra nas questões de sustentabilidade e mudanças climáticas

Jornal Midiamax