Sargento da , um dos tripulantes do Helicóptero da Casa Militar que sofreu pane e ‘capotou' no Aeroporto Santa Maria, em , na manhã desta quinta-feira (18), foi levado para um particular onde passou por exames devido a dores que sentia na região lombar.

A informação é que ninguém sofreu ferimentos graves, porém, o sargento foi levado ao hospital, por causa das dores nas costas. De início, a informação seria a de que teria sido um coronel que havia sido levado para atendimento. Estavam a bordo: dois coronéis – que pilotavam o helicóptero -, o sargento e um subtenente da Casa Militar.

Conforme nota oficial do Governo do Estado, o helicóptero estava com quatro servidores, sendo dois pilotos e dois tripulantes e apenas um deles teria sofrido ferimentos leves. Segundo apurado pela reportagem do Jornal Midiamax, seria um coronel que foi socorrido com suspeita de lesão na coluna. Ainda de acordo com o Governo, o helicóptero realizava voo semanal de giro, que é realizado para preservação do equipamento, e estava há 20 minutos no ar, quando sofreu a pane.

A nota afirma, ainda, que os pilotos realizaram manobra de emergência chamada autorrotação para que o pouso ocorresse na lateral da pista.

No pouso ocorreu a pilonagem, que ocasionou o acidente, segundo a nota. Por fim, o governo afirma que a manobra reduziu consideravelmente a gravidade do acidente. A aeronave envolvida no acidente é um helicóptero matrícula PT-HBM, modelo Bell 206.

‘Barulho estranho' antes da queda

Trabalhador que estava no aeroporto no momento do acidente relatou à reportagem do Jornal Midiamax que ouviu um ‘barulho estranho' e comentou que parecia que iria cair. Depois, disse ter escutado um outro barulho e viu as pessoas correndo.

No local, foram 7 viaturas dos bombeiros, duas ambulâncias do , duas da PM e duas viaturas do Dracco (Departamento de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado), unidade responsável por investigar queda de helicópteros e aeronaves.