Geral

São Paulo bate Figueirense com gols de ataque reserva e tem 1º triunfo com Ney Franco

Não foi fácil, mas o São Paulo conseguiu uma importante vitória na tarde deste domingo contra o Figueirense por 2 a 0. Ademilson e Willian José, ambos atacantes reservas que atuaram desde o início por causa dos desfalques de Luis Fabiano, Osvaldo e Lucas, deixaram a sua marca e ajudaram o técnico Ney Franco a […]

Arquivo Publicado em 22/07/2012, às 20h56

None

Não foi fácil, mas o São Paulo conseguiu uma importante vitória na tarde deste domingo contra o Figueirense por 2 a 0. Ademilson e Willian José, ambos atacantes reservas que atuaram desde o início por causa dos desfalques de Luis Fabiano, Osvaldo e Lucas, deixaram a sua marca e ajudaram o técnico Ney Franco a conseguir a sua primeira vitória no comando do Tricolor.


O triunfo conquistado em Santa Catarina permitiu ao São Paulo colar no G-4 do Brasileirão, um ponto atrás do Cruzeiro. O Figueirense segue em incômoda posição na tabela, na zona do rebaixamento.


O São Paulo colocou em prática o pedido de Ney Franco de apertar a marcação nos atletas do Figueirense e foi bem sucedido. Segundo o Datafolha, foram 112 desarmes na partida, 12 a mais do que a sua média no campeonato. O Tricolor também foi beneficiado logo no início da partida por um erro da defesa rival. Mais esperto, Ademilson se antecipou aos rivais e deixou a sua marca.


Depois do gol, o jogo ficou muito truncado no meio de campo. São Paulo e Figueirense tiveram dificuldade de sair da marcação rival, e a partida ficou sonolenta pela falta de oportunidades de gol de ambos os times.


“Centroavante é centroavante né. Às vezes vem uma bola e você tem que matar. Estava no momento certo, na hora certa e graças a Deus fiz meu gol”, celebrou o jovem Ademilson na saída do intervalo.


O Figueirense voltou para o segundo tempo com outra postura e saiu em busca do empate. Mas com uma marcação eficiente, o São Paulo aos poucos foi minando o rival e ficou perigoso nos contra-ataques.


No dia que marcou seu primeiro gol com a camisa profissional do São Paulo, Ademilson foi atingido duramente por Fred e teve que deixar o gramado reclamando de lesão – Rafinha entrou no seu lugar. Pouco tempo depois Maicon, sentiu contusão em lance isolado e teve que ser trocado pelo jovem João Schmidt. Ney Franco optou por gastar a última alteração para evitar que João Filipe recebesse cartão vermelho, assim como ocorreu com Rodrigo Caio na derrota contra o Vasco. O zagueiro Edson Silva entrou na partida.


O São Paulo reduziu o ritmo da marcação e possibilitou que o Figueirense crescesse na partida. Mas a situação ficou mais fácil para os visitantes quando Fred segurou Cortez pela camisa e recebeu o segundo cartão amarelo. O interino Abel Ribeiro sacou o atacante Julio Cesar e colocou Canuto para recompor o setor, e recebeu uma sonora vaia dos torcedores locais.


Com o resultado confortável no marcador, o São Paulo passou a tocar a bola e ‘cozinhar’ o jogo, abdicando do direito de contra-atacar. Sem forças para reagir, o Figueirense foi presa fácil para o rival. A derrota revoltou parte da torcida local, que ficou de costas em protesto. Quase no fim do jogo, Willian José piorou o panorama ao marcar o segundo gol em contra-ataque.


Jornal Midiamax