Geral

Camapuã pode ficar sem candidatos a prefeito

Todos os quatro prefeitáveis de Camapuã tiveram seus registros de candidaturas impugnados pelo MPE (Ministério Público Eleitoral) e poderão ter que sair da campanha eleitoral caso essas impugnações sejam aceitas pela Justiça Eleitoral.  O MPE pediu a impugnação da candidatura de Altimir Abdias Juvêncio de Almeida, o Xitão (PSDB), por não ter apresentado diploma de […]

Arquivo Publicado em 18/07/2012, às 16h00

None

Todos os quatro prefeitáveis de Camapuã tiveram seus registros de candidaturas impugnados pelo MPE (Ministério Público Eleitoral) e poderão ter que sair da campanha eleitoral caso essas impugnações sejam aceitas pela Justiça Eleitoral. 


O MPE pediu a impugnação da candidatura de Altimir Abdias Juvêncio de Almeida, o Xitão (PSDB), por não ter apresentado diploma de segundo grau e a proposta de governo. O candidato Moyses Nery (PMDB) não apresentou documento válido de escolaridade. Já o candidato à reeleição, Marcelo Pimentel Duaibili (DEM), é acusado de abuso de poder público e sua vice, Conceição de Fátima Malaquias de Oliveira (PP), teve o pedido de impugnação por não ter entregado a certidão criminal de primeiro grau da Justiça Federal.


Segundo informações do cartório eleitoral, a candidata e advogada Andrea de Oliveira Miranda (PTB), também recebeu pedido de impugnação já que não entregou o diploma de segundo grau e a certidão do órgão profissional, no caso a OAB/MS. O candidato à vice de Andrea também teve o pedido de impugnação de sua candidatura, devido à ausência de certidão criminal e inelegibilidade por crime eleitoral.


Além dos quatro prefeitos, 50 candidatos a vereador (mais da metade dos 91 que registraram candidatura), receberam pedidos de impugnação.


Corumbá


Por não terem cumprido as exigências da Justiça Eleitoral, assim como os prefeitáveis de Camapuã, quatro candidatos que concorrem à prefeitura de Corumbá tiveram seus registros de candidatura impugnados. São eles: Marco Antônio Monge (PSTU), Solange Alves de Oliveira (PMDB), Paulo Duarte (PT) e Elano Almeida (PPS).


Os candidatos que tiverem o registro indeferido poderão recorrer. Nesses casos a campanha continua autorizada até o resultado da última instância.

Jornal Midiamax