Geral

Prefeitura emite nota oficial sobre intoxicação em alunos e não explica a origem do mal estar

A prefeitura municipal de Campo Grande emitiu, no fim da tarde desta terça-feira (27), uma nota oficial sobre a intoxicação dos alunos da Escola Municipal de Campo Grande Iracema Maria Vicente, no Bairro Rita Vieira.  A nota oficial não esclarece ainda a causa da intoxicação nos alunos. Veja a nota na íntegra:  Leia também: Câmera […]

Arquivo Publicado em 27/09/2011, às 20h56

None
A prefeitura municipal de Campo Grande emitiu, no fim da tarde desta terça-feira (27), uma nota oficial sobre a intoxicação dos alunos da Escola Municipal de Campo Grande Iracema Maria Vicente, no Bairro Rita Vieira. 
A nota oficial não esclarece ainda a causa da intoxicação nos alunos. Veja a nota na íntegra: 
“A Prefeitura de Campo Grande está tomando todas as providências, tanto de assistência médica quanto de apoio aos pais dos alunos que, na tarde desta terça-feira (27), passaram mal na Escola Municipal de Tempo Integral Iracema Maria Vicente, no bairro Rita Vieira. Assim que percebeu a indisposição havia atingido várias crianças, a direção do estabelecimento acionou o Samu. 
Tão logo foi informada do ocorrido, os secretários municipais de Educação e Saúde, Maria Cecília Amendola da Motta e Leandro Mazina, respectivamente, bem como a secretária-adjunta de Saúde, Ana Lúcia Lyrio, o superintendente de Abastecimento Alimentar, Danilo Fligliolino e o chefe do Serviço de Fiscalização de Alimentos da Sesau, Milton Zaleski.
As crianças foram encaminhadas para o Centro Regional de Saúde 24 horas do bairro Tiradentes, o mais próximo da escola, e para as Unidades de Pronto Atendimento (UPA) nos bairros Universitário, Vila Almeida e Coronel Antonino. Em todas as unidades, o atendimento às crianças está sendo priorizado. 
Alguns alunos que não estavam passando mal foram liberados, quando os pais foram buscá-las. As que, ao chegarem em casa passaram mal, retornaram a escola e, também, foram imediatamente levadas às unidades de saúde.
Transporte 
Os pais que não possuem transporte para irem às unidades de saúde, podem se dirigir à escola que no local há veículos à disposição para este deslocamento.
Ainda não há resultado de exames que comprovem o que provocou a indisposição em uma parcela dos alunos. O almoço oferecido no estabelecimento hoje foi composto de arroz, feijão, farofa de salsicha e ovo e salada de repolho e tomate.”
Jornal Midiamax