Geral

‘Operação padrão’ já causa prejuízos aos criadores em Dourados

Segundo Nilson Teixeira, que trabalha com compra e venda de gado, a ‘operação padrão’ deferida por funcionários da IAGRO (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal) nesta quinta-feira (17) já dá prejuízo para os criadores de gado. Ele afirma que, com as escalas de abate do gado dos frigoríficos, os produtores que tem embarque […]

Arquivo Publicado em 17/11/2011, às 23h08

None

Segundo Nilson Teixeira, que trabalha com compra e venda de gado, a ‘operação padrão’ deferida por funcionários da IAGRO (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal) nesta quinta-feira (17) já dá prejuízo para os criadores de gado.


Ele afirma que, com as escalas de abate do gado dos frigoríficos, os produtores que tem embarque marcado para este domingo já estão sendo prejudicados. Isso porque os funcionários da IAGRO, segundo Nilson, não querem emitir nota para este domingo.


“Os frigoríficos têm uma escala, se o criador não embarcar a carga neste dia, terá de adiar em uma semana”. Isso se deve ao fato de os frigoríficos programarem a escala com uma semana de antecedência.


“Os criadores são prejudicados, pois não conseguem vender o gado como programado. Os frigoríficos são prejudicados, pois tem que pagar os funcionários que não vão produzir como normalmente, uma vez que terá menos cargas para abate. E o Estado perde porque deixa de arrecadar. O prejuízo é para todos”, afirma.


Já para o representante dos ruralistas na Casa de Leis, o vereador Gino Ferreira (DEM)se mostrou preocupado com a ‘operação’ e disse que em Dourados as ações da agência já nesta quinta-feira estão “bem paradas”.


Porém o vereador afirma que para os eventos da Federação Estadual de Laço Comprido, da qual ele é presidente, os trâmites seguiram, e o Clube do Laço deve realizar evento neste final de semana em Laguna Carapã.


Os servidores da Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal) iniciam nesta quinta-feira (17), a “Operação Padrão”, que começou a ser organizada e foi deliberada durante Assembléia Geral Extraordinária, realizada no último dia 21 de outubro.


O movimento serve como um caminho para a ‘classe obter respostas do governador André Puccinelli sobre a promessa do Plano de Cargos, Carreira e Salários (PCCS) dos servidores’.

Jornal Midiamax