Chelsea Ives, 18, seria apenas mais uma jovem detida nos distúrbios que Londres está envolvida desde o fim de semana se ela não fosse uma das jovens embaixadoras olímpicas escolhidas para representar a cidade que sediará os Jogos em 2012.
Chelsea foi detida após ser vista na TV atacando um carro da polícia no domingo. E quem denunciou a jovem foi a própria mãe, Adrienne, 47.
“Eu tive que fazer o que era certo. Roger (o marido) e eu estávamos assistindo as notícias e foi absolutamente repugnante. E então vimos nossa filha no meio da multidão. Eu não podia acreditar. 
Por um minuto não sabíamos o que fazer. Então, o que seria normal pais honestos fazerem? Como você pode sentar lá e dizer ‘tudo bem’? Como pais nós tínhamos que dizer: ‘Ela não pode ir longe com isso”, explicou a mãe ao jornal britânico “The Telegraph”.
Escolhida jovem embaixadora há dois anos, Chelsea já se encontrou com o prefeito de Londres, Boris Johnson, e o presidente do Comitê Organizador dos Jogos, Sebastian Coe.
A voluntária também já foi à Câmara dos Comuns, equivalente à Câmara dos Deputados brasileira, em razão de um projeto social envolvendo futebol do qual participava.
Chelsea também foi acusada de dois roubos, mas nega estar envolvida em outros atos de vandalismo. A jovem embaixadora olímpica foi detida de maneira preventida e vai responder no tribunal pelos atos em 17 de agosto, segundo a imprensa britânica.
Mais de 1.500 pessoas já foram presas depois dos distúrbios que atingiram o país durante quatro dias.