O diretor da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), Rudel Trindade, defendeu na noite desta terça-feira (23) o fim do dinheiro para pagamento de passagem nos ônibus coletivos de Campo Grande. Ele participa neste momento do evento “Campo Grande 112 Anos – pronta para o futuro”.

Rudel argumenta que discutiu, antes da formulação do decreto, o projeto com a Câmara Municipal e MPE (Ministério Público Estadual). O pedido para proibir dinheiro nos coletivos partiu do Sindicato dos Motoristas do Transporte Coletivo.

“Antes de tudo, vem o direito a vida. Depois o direito do consumidor, do ir e vir”, afirma Rudel. Ele disse que dois procuradores do MPE analisaram a minuta do projeto para saber sobre sua inconstitucionalidade.

“Eles estão aptos a saberem se o decreto é constitucional ou não”, diz.

O evento segue com a presença de diversas autoridades, como o presidente da Assembleia Legislativa, Jerson Domingos (PMDB), o prefeito Nelson Trad Filho (PMDB), o presidente da Câmara Municipal, Paulo Siufi (PMDB), o sócio-diretor do jornal Midiamax, Carlos Eduardo Naegele, e o deputado Carlos Marun (PMDB).