Geral

Lula assina liberação de R$ 375,95 mi em ajuda para o Haiti

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva assinou nesta terça-feira uma medida provisória que libera R$ 375,95 milhões em ajuda ao Haiti, país devastado por um forte terremoto no último dia 12. Milhares de pessoas morreram na tragédia. O montante será distribuído em recursos extraordinários entre os Ministérios da Defesa (R$ 205,05 milhões), da Saúde […]

Arquivo Publicado em 26/01/2010, às 20h25

None

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva assinou nesta terça-feira uma medida provisória que libera R$ 375,95 milhões em ajuda ao Haiti, país devastado por um forte terremoto no último dia 12. Milhares de pessoas morreram na tragédia.

O montante será distribuído em recursos extraordinários entre os Ministérios da Defesa (R$ 205,05 milhões), da Saúde (R$ 135 milhões), das Relações Exteriores (R$ 35,3 milhões) e da área de Inteligência da Presidência da República (R$ 600 mil).

Na verba destinada ao Itamaraty está incluída a doação de US$ 15 milhões prometida pelo governo brasileiro ao Haiti no dia seguinte ao terremoto, que deixou em ruínas a capital haitiana, Porto Príncipe.

Os recursos serão usados para reforçar as ações da missão de paz da ONU (Organização das Nações Unidas) no país, a Minustah, liderada militarmente pelo Brasil, comprar combustíveis e lubrificantes para o transporte das tropas, além de suprimentos e materiais de saúde, entre outros.

O Brasil montou um hospital de campanha nas imediações da sua base militar no país caribenho e tem atendido diariamente um volume considerável de feridos e doentes. Esse hospital é bancado com recursos do governo brasileiro, sem ajuda financeira da ONU.

Tragédia

O terremoto aconteceu às 16h53 do último dia 12 (19h53 no horário de Brasília) e teve epicentro a 15 quilômetros de Porto Príncipe, que ficou virtualmente devastada. O Palácio Nacional e a maioria dos prédios oficiais desabaram. O mesmo aconteceu na sede da Minustah, missão de paz da ONU, liderada militarmente pelo Brasil.

Ainda não há um dado preciso do total de mortos. O balanço das Nações Unidas divulgado nesta segunda-feira indica um total de 112.250 mortos e outros 194 mil feridos. Já o governo haitiano confirmou neste domingo que o número de mortos no país já atingiu 150 mil somente na região metropolitana de Porto Príncipe.

Entre os brasileiros, 21 morreram, sendo 18 militares e três civis –a brasileira Zilda Arns, fundadora da Pastoral da Criança, o chefe-adjunto civil da missão da ONU no Haiti, Luiz Carlos da Costa, e uma brasileira com dupla-cidadania europeia que não teve a identidade divulgada a pedido da família.

Jornal Midiamax