Geral

Garoto de 16 anos é atacado e arrastado por onça no Pantanal

O adolescente Victor Brás, 16 anos, foi atacado por uma onça pintada na região do Pantanal em Cáceres, a 210 quilômetros de Cuiabá. De acordo com informações atribuidas ao capitão tenente da Marinha em Cáceres, Pedro Garcia, o jovem estava acompanhado do pai e um pirangueiro (guia de pesca) enquanto pescavam na tarde de quarta-feira, […]

Arquivo Publicado em 16/07/2010, às 10h39

None

O adolescente Victor Brás, 16 anos, foi atacado por uma onça pintada na região do Pantanal em Cáceres, a 210 quilômetros de Cuiabá. De acordo com informações atribuidas ao capitão tenente da Marinha em Cáceres, Pedro Garcia, o jovem estava acompanhado do pai e um pirangueiro (guia de pesca) enquanto pescavam na tarde de quarta-feira, numa area próxima a “Estação Ecológica do Taiamã”, que situa-se a 200 quilometros de Cáceres, cujo acesso é feito somente de barco ou avião.


O garoto teria sido agarrado pela onça na cabeça que o arrastou para dentro do rio Paraguai. Ao mesmo tempo, o pirangueiro utilizando um remo como arma conseguiu bater na onça fazendo com ele soltasse a vitima. O menino foi retirado rapidamente da agua, pois os ferimentos poderiam atrais peixes carnivoros, como a piranha. Transportado para Cáceres, o menino recebeu os primeiros socorros na embarcação Hospital São Lucas do Pantanal.


Victor Brás está internado na UTI do Hospital São Luiz, e seu quadro é estável, embora os medicos ainda não tenham emitido nenhum boletim sobre o estado de saude. Essa não é a primeira vez que onças atacam pessoas no municipio de Cáceres. Há dois anos o pescador Luiz Alex da Silva Lara, 23 anos, estava acampado na mesma area conhecida como Pacú Gordo, junto ao seu pai Alonso Silva Lara, quando foi morto por duas onças. Luiz Alex, estava dormindo quando foi arrastado de dentro da barraca.


No final do ano passado o servidor do Ibama Waldemar Ortega, travou uma luta contra outra onça. Na região do Morro Pelado, dois funcionários de uma embarcação foram escorraçados por onças quando tentavam desligar o gerador elétrico do acampamento. O ataque desta semana preocupa as autoridades. Especialmente porque demonstra fragilidade de segurança na região. A Reserva do Taiamã está situada próximo da divisa com a Bolívia. São aproximadamente 123 mil hectares de uma área de enorme riqueza de fauna e flora.


A reserva foi criada para fins de proteção e estudos ambientais. Por conta disso, acaba atraindo muita gente, interessada na abundância especialmente de peixes. O guia turístico Luiz Emerson de Souza disse que no local é possível visualizar um número imenso de animais, dentre os quais se as capivaras, jacarés, pássaros pantaneiros, cobras, macacos e onça pintada.


(Com informações do 24hnews)

Jornal Midiamax