Geral

Diretora convida pais para reunião política enviando bilhetes por meio de alunos

Pais receberam bilhetes informando que haveria uma reunião na casa da diretora da escola Delmira Ramos; evento era de apoio político a ex-secretária de Educação, Nilene Badeca

Arquivo Publicado em 14/09/2010, às 00h37

None

Pais receberam bilhetes informando que haveria uma reunião na casa da diretora da escola Delmira Ramos; evento era de apoio político a ex-secretária de Educação, Nilene Badeca

Pais de alunos de uma escola pública da rede estadual de educação acionaram o TRE (Tribunal Regional Eleitoral) para denunciar que Maria Luiza, diretora da Escola Professora Delmira Ramos, do Jardim Tijuca, usou as criancas, alunos da escola, para convidarem os pais para uma “reunião” na casa dela.

No bilhete, assinado pela diretora e levado para casa pelas crianças, estava o seguinte recado: “Querido colegas e pais. Você é o convidado (a) especial para uma reunião em minha casa. […] Sua presença será uma alegria para mim”.

Segundo os pais, as crianças chegaram em casa nesta segunda-feira (13) com um bilhete (foto) convidando os pais para participarem de uma reunião na Av. Marinha, no Coophavila, onde fica a casa da diretora. “Minha neta chegou em casa com o bilhete e me disse que tinha reunião. Eu achei um absurdo, as reuniões devem ser feitas na escola”, declarou a avó de uma aluna de 9 anos.

O pai de um menino que cursa o 4º ano fez a mesma reclamação. “Eu fiquei sabendo quando recebi o bilhete, dai os vizinhos começaram a comentar que era reunião política, por isso desconfiei. Eu não tenho candidato, mas não aceito que ela use meu filho para convidar ninguém para a reunião”, reclamou indignado.

A reportagem esteve presente no local especificado no bilhete e ao chegar lá foi constatado que o evento considerado pela diretora como uma “reunião de colegas e pais”, na verdade era uma reunião política.

Os fiscais do TRE, que foram informados da ilegalidade por denúncias anônimas de pais de alunos, estiveram no local. Em frente à casa da diretora, dezenas de cadeiras tomavam conta da calçada e banners com fotos da candidata a deputada estadual Nilene Badeca, do candidato à reeleicao André Puccinelli e do candidato a senador Waldemir Moka (PMDB) estavam expostos.

A diretora Maria Luiza recebeu os fiscais e a reportagem com muito nervosismo e deboche. Ela se defendeu dizendo que convidou os pais e não as crianças. “Eu convidei os pais verbalmente, na porta da escola, ou seja fora da escola”, afirmou.

Segundo a diretora, todos que foram convidados sabiam que era uma reunião política. Visivelmente irritada, a diretora se indignou com a presença dos fiscais e jornalistas e usou o microfone para falar sobre o que chamou de “perseguição política e inveja de mim”, aos gritos.

Duas outras diretoras de escolas da região também fizeram uso da palavra no microfone. “A gente vota em quem quer e apoia quem quer. Chamamos os pais e todos sabiam aqui que era uma reunião de apoio a Nilene Badeca, que nos apoiou muito na secretaria de educação”, disse a diretora da escola Manoel Bonifácio, que foi apresentada como Leninha.

Já a diretora da escola Padre José Scampinni fez do local um palco para o deboche. “Ah! Não sabiam que era reunião política. Aproveito que o Midiamax está ai para convidá-los a fazer uma bela cobertura de imprensa do nosso show de talentos. Eu vou cantar”, gritou.

Entre os pais que estavam no local, ao menos dois não sabiam que era uma reunião política. “Eu vim porque achei que era alguma coisa da escola. Quando cheguei aqui que eu soube que era uma reunião política”, contou uma mãe que pediu para não ser identificada. “Ela pode perseguir meus filhos na escola, eu tenho medo. Mas outros pais também não sabiam que era para apoiar candidato”, disse.

Segundo os fiscais do TRE que estavam presentes no local, uma denúncia recebida no disque-denúncia do órgão motivou o flagrante. “Fomos informados que as crianças receberam bilhetes e viemos verficar a situação”, explicou o fiscal Fabio Duarte.

Segundo a Resolução n. 429/2010 do TRE/MS, todos os participantes convidados para uma reunião política devem ser previamente avisados sobre a finalidade do encontro, para “que não sejam surpreendidos com a finalidade eleitoral do ato”.





Jornal Midiamax