Geral

Blogueira pede a Lula ajuda para deixar Cuba

A premiada blogueira cubana Yoani Sánchez resolveu pedir ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva ajuda para conseguir permissão do governo de Cuba para visitar o Brasil. Em carta, que ainda não foi entregue ao Planalto, Sánchez diz a Lula que, se ele intervier, os irmãos Castro cederão para não decepcionar o presidente que “tem […]

Arquivo Publicado em 27/03/2010, às 14h25

None

A premiada blogueira cubana Yoani Sánchez resolveu pedir ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva ajuda para conseguir permissão do governo de Cuba para visitar o Brasil.


Em carta, que ainda não foi entregue ao Planalto, Sánchez diz a Lula que, se ele intervier, os irmãos Castro cederão para não decepcionar o presidente que “tem dado mostras recentes de possuir grande confiança na boa-fé” de Havana.


A mensagem é mais um lance da pressão do grupo de opositores e críticos do regime cubano para que Lula se manifeste sobre a repressão em Cuba. À Folha Sánchez disse que a carta dá ao presidente a “oportunidade de se mostrar ao lado do povo cubano”, após suas “infelizes” declarações sobre os dissidentes do país.


No início do mês, Lula colecionou críticas no Brasil e no exterior por condenar greve de fome de dissidentes cubanos e compará-los a presos comuns de São Paulo. O protesto, segundo Lula, não pode ser “pretexto” para obter libertações.


Pelas leis de Cuba, só sai do país quem obtém a autorização do governo. Desde que lançou seu blog, o Generación Y, há três anos, Sánchez já teve permissão negada quatro vezes, uma delas para vir ao Brasil lançar “De Cuba com Carinho” (Editora Contexto).


Agora, ela quer ir a Jequié, na Bahia, para a estreia, em junho, de um documentário feito por Dado Galvão sobre a repressão em Cuba e em Honduras -após o golpe em 2009. “Adoro falar com pessoas que estão fazendo seu trabalho em suas comunidades”, diz Sánchez, que, clandestinamente, dá oficinas para ensinar a criar blogs e alimentar twitters usando celulares.


A internet é controlada, mas o celular foi liberado em 2008, e a intenção, diz ela, é expandir “a sociedade civil virtual” que repercute no exterior, mas tem impacto marginal em Cuba.


Galvão, 29, documentarista e ativista social em Jequié, chegou a Havana com uma passagem doada por um deputado estadual e após fazer campanha numa rádio da cidade (150 mil habitantes) para colher fundos. Gravou Sánchez por duas semanas em Cuba e faz questão que o governador Jaques Wagner (PT) seja o portador da carta da blogueira para Lula. “Quero fazer a entrega formal.”

Jornal Midiamax