Geral

Assessorias negam “palanques diferentes” para Zeca e Delcidio

“Não existe essa história”, disse a assessoria de Delcídio. ”Nada a ver isso”, arrematou o assessor de Zeca sobre informação de palanques diferentes na campanha

Arquivo Publicado em 28/03/2010, às 14h50

None

“Não existe essa história”, disse a assessoria de Delcídio. ”Nada a ver isso”, arrematou o assessor de Zeca sobre informação de palanques diferentes na campanha

O pré-candidato ao governo de Mato Grosso do Sul, Zeca do PT. e o senador Delcídio Amaral, as duas maiores expressões do partido, têm agenda conjunta a partir de abril quando começam a viajar pelo interior do Estado. Assim, negam que teriam como estratégia política subir em palanques diferentes durante a disputa com o governador André Puccinelli, o pré-candidato do PMDB, conforme informação divulgada hoje no jornal Correio do Estado.

Ao Midiamax, as assessorias de Zeca e de Delcídio, disseram que, ao contrário do divulgado, o senador e Zeca do PT já planejam com o comando do partido viagens juntos para o interior do Estado.

“Não existe essa história”, disse a assessoria de Delcídio. ”Nada a ver isso”, arrematou o assessor de Zeca sobre montar “palanques diferentes” para os dois.

Contaminado pela dengue, doença que já adoeceu ao menos 26 mil pessoas e matou sete em seu estágio mais feroz na Capital de janeiro para cá, o senador ficou internado de terça-feira a sábado. O parlamentar recebeu liberação médica, mas cumpre repouso em sua cada até a próxima quinta-feira, informou o assessor.

Já a assessoria de Zeca disse que ex-governador e o deputado federal Vander Loubet, primos, devem visitar Delcídio “entre hoje e amanhã”. A reportagem quis ouvir essa informação de Loubet, mas ele não atendeu as ligações.

O diálogo teria a ver com a agenda conjunta. “Enquanto esteve internado o senador não pode receber visita de nenhum político. A equipe médica tomou até o celular dele [Delcídio], e o repouso até quinta será severo”, disse a assessoria do petista.

Fonte petista, sem cargo e distante da cúpula do partido, disse que os “mexericos” acerca da suposta indisposição política envolvendo Zeca e Delcídio seria um meio de o PTB “forçar” o senador e o ex-governador a definir logo a escolha dos suplentes ao Senado e ao governo.

O Partido dos Trabalhadores do Brasil, que já possui a primeira suplência de Delcídio, estaria trabalhando para “repetir” a dose, disse a fonte – no caso, garantir a suplência do senador.

Com isso, o PTB, ainda segundo a fonte, sairia ganhando lá na frente, daqui quatro anos. É que o PT, segundo declarações de Zeca, pensa em lançar Delcídio ao governo quando terminar o mandato de Zeca, se vitoriosa a camapanha em 2010. “Cairia no colo deles [PTB] um mandato de Senador, entende o mexerico?”.

Jornal Midiamax