A CBF (Confederação Brasileira de Futebol) encerrou no início deste ano um clico de três anos de protocolos que determinavam a apresentação de certificado de vacinação contra a Covid-19 para elegibilidade de inscrição para partidas organizadas pela CBF.

O trabalho realizado por um time de médicos e infectologistas permitiu, com segurança, realizar aproximadamente cinco mil jogos, com todas as competições programadas pelo Departamento de Competições executadas.

“Trata-se do fechamento de uma página difícil, mas histórica. Depois de três anos, encerramos os protocolos obrigatórios determinados pela Comissão Médica e de Combate à Dopagem da CBF. Foram dois anos com a realização de testes em todas as equipes de todas as séries e categorias do futebol feminino e masculino”, explica o Dr. Jorge Pagura, presidente da Comissão Médica e Combate à Dopagem da CBF.

Segundo Pagura, a Copa do Nordeste, que foi a primeira competição nacional a retornar após o período de paralisação dos campeonatos, será a primeira com a retirada total do protocolo. Mas, assinala ele, apesar da retirada das exigências, a atenção e vigilância permanecem.

“Essa medida ocorre após felizmente termos uma importante diminuição dos casos no mundo e em nosso país. De qualquer maneira, estaremos vigilantes e, surgindo qualquer modificação ou nova determinação de autoridades sanitárias, uma nova diretriz médica a ser incorporada ao Regulamento Geral de Competições poderá ser publicada”, destacou Pagura.