A Polícia Civil de investiga a morte da ex-jogadora de vôlei e campeã olímpica Walewska Oliveira, de 43 anos. Segundo o registro da ocorrência, ela teria caído do 17º andar do prédio em que morava em Cerqueira César, bairro nobre do centro de São Paulo, na tarde dessa quinta-feira (21). O corpo foi encontrado por volta das 18h30 (horário de Brasília).

O caso foi registrado como “morte suspeita” no 78º Distrito Policial de São Paulo, nos Jardins. A polícia analisa câmeras de segurança do prédio para entender o que pode ter acontecido momentos antes da morte de Walewska.

De acordo com testemunhas, a ex-jogadora teria caído do salão de festas do prédio, enquanto o marido dela estaria no apartamento do casal em outro andar do edifício, no momento da tragédia.

Carreira vitoriosa

Campeã olímpica em Pequim 2008, a ex-jogadora de vôlei Walewska Moreira de Oliveira defendeu a camisa da Brasileira e se aposentou no Praia Clube, de Uberlândia, na temporada de 2021/2022.

Walewska estava em São Paulo para divulgar a autobiografia “Outras redes” e lançar uma linha de chocolates saudáveis. A obra foi escrita em parceria com Teco Condado e com prefácio de Bernardinho, ex-técnico da Seleção. Nela, a ex-jogadora fala sobre reconhecimento e cuidado.

A atleta foi revelada pelo Minas, em 1995, e ficou na equipe até 1998. Ela também defendeu o Rexona/Ades; São Caetano; Sirio Perugia, da Itália; Murcia, da Espanha; Zarechi, da Rússia; Vôlei Futuro; Vôlei Amil; Minas; Osasco; e Praia Clube.

Com uma carreira de sucesso no vôlei, Walewska conquistou o título da Superliga Feminina de Vôlei três vezes, além de um Troféu Super Vôlei, de 2020.

Em 2007, a atleta conquistou o vice-campeonato do Pan-Americano e da do Mundo de Vôlei. No ano seguinte, em 2008, ela se consagrou campeã olímpica em Pequim, quando também se despediu da .