A partida que fechou a temporada do São Paulo, marcada por duas perdas de finais (Paulista e Sul-Americana), não levou a equipe do Morumbi ao principal objetivo que restou ao time neste final de ano: um lugar no G-8 e uma vaga na fase prévia da Libertadores. Mas, foi por pouco. Com gols de Gallopo, Luciano, Marcos Guilherme e Juan, o tricolor paulista venceu Goiás por 4 a 0, no Estádio da Serrinha, e fez o time de Rogério Ceni terminar a competição em 9º com 54 pontos, classificado para a Copa Sul-Americana.

A equipe paulista fez a sua parte na última rodada do campeonato, mas precisava de quatro resultados para conseguir terminar entre os oito melhores na tabela: vencer o Goiás, e torcer por derrota do Botafogo e empates de América-MG e Fortaleza. Conseguiu três: a equipe cearense visitou o Santos e saiu da Vila Belmiro com uma vitória por 2 a 0, terminando a competição em 8º.

Chegar à fase prévia da Libertadores seria um prêmio de consolação para uma torcida que amargou duas finais perdidas, uma eliminação na Copa do Brasil na semifinal e um Campeonato Brasileiro no qual o São Paulo nunca decolou, apresentando, na maior parte do tempo, um desempenho mediano.

Embaixo de uma tarde ensolarada em Goiânia, as equipes buscaram colocar a bola no chão nos primeiros minutos, mas a falta de precisão nos passes e a forte marcação no meio de campo impediam que os ataques de levassem perigo aos gols adversários. As duas primeiras boas chances foram criadas pelo lado do São Paulo, em cabeçada de Gallopo que parou nas mãos de Tadeu, e em um chute de esquerda, de fora da área, de Rodrigo Nestor, que passou por cima da trave.

Aos poucos, o São Paulo passou a controlar o jogo e dominar o meio de campo. A equipe de Rogério Ceni trocava passes com liberdade, mas tinha dificuldade de acionar Luciano e Calleri em condições claras para finalizar.

O caminho, então, foi armar pelas laterais, por onde o São Paulo se acostumou a produzir gols na temporada e por onde o lateral Wellington, a válvula de escape do time no primeiro tempo, encontrava liberdade para avançar com a bola. E foi assim que os visitantes abriram o placar. Igor Gomes recebeu a bola aberto pela direita e, livre, cruzou para Gallopo cabecear sem chances de defesa para Tadeu. Foi o primeiro gol do argentino com a camisa tricolor.

O gol deu maior confiança para o São Paulo, que continuou dominando o jogo e criando as principais ações ofensivas até o final do primeiro tempo. O time de Rogério Ceni se mostrava leve no meio de campo, com mais repertório e qualidade no passe do que o adversário.

Com a ausência de Pedro Raul, que deu lugar para Marquinhos Gabriel no time titular por conta de um desconforto na lombar sentido antes do início da partida, o setor defensivo do tricolor também não tinha grandes problemas para parar o pouco criativo ataque goiano.

Com Gallopo e Welington como melhores em campo, o São Paulo teve a chance de ampliar o placar com Luciano já nos acréscimos. O atacante se infiltrou pelo meio, recebeu de Calleri e livre, de frente para Tadeu, chutou em cima do goleiro esmeraldino, que conseguiu jogar a bola para escanteio.

A primeira e única boa chance criada pelos donos da casa aconteceu apenas os 35 minutos. Vinicius recebeu de Hugo, costurou pela esquerda, se livrou da marcação e chutou com perigo. Felipe Alves conseguiu impedir o que seria o empate do Goiás. O time de Jair Ventura mostrou sentir falta de Pedro Raul O vice-artilheiro do campeonato com 19 gols sentiu a lombar momentos antes do jogo começar e deu lugar para Marquinhos Gabriel no time titular.

O São Paulo desceu para os vestiários esperançoso. Três dos quatro resultados necessários para conseguir terminar o campeonato no G-8 estavam se concretizando. Além de estar vencendo a partida, o América-MG e Fortaleza não venciam seus jogos. Bastava torcer para Athletico conseguir a vitória contra o Botafogo, em Curitiba.

No segundo tempo, o Goiás voltou melhor na partida e, em menos de 10 minutos, exigiu atenção da defesa tricolor. Em uma das três boas chegadas do time de Jair Ventura, Nicolas finalizou com perigo contra a meta de Felipe Alves. O São Paulo devolveu com Gallopo, que finalizou por cima após cruzamento da direita em falta cobrada por Rodrigo Nestor.

O São Paulo voltou a controlar o jogo e a chegar com perigo. Em nova boa troca de passes, Nestor acionou Luciano que deixou Calleri livre na área em condições de marcar. O argentino, porém, foi travado na hora do chute. Minutos depois, foi Nestor quem desperdiçou a oportunidade de ampliar o placar. Coube, então, a Luciano fazer o o São Paulo merecia desde o primeiro tempo: o segundo gol. O atacante recebeu a bola na entrada na área e chutou cruzado para o fundo da rede.

Com o placar praticamente garantido, não demorou para os visitantes liquidarem a fatura. Marcos Guilherme, que saiu do banco para substituir Galoppo, conseguiu ampliar para 3 a 0 ao chutar forte, da entrada da área, sem chances para Tadeu.

No final da partida, Rogério ainda levou a campo o Reinaldo, que pode estar fazendo a sua última partida com a camisa tricolor. Atleta do atual elenco que mais vestiu a camisa do clube, o lateral fez 316 jogos pelo time do Morumbi em suas duas passagens, anotou 32 gols e 40 assistências.

Antes de Marcelo Lima Henrique apitar o final do jogo, Juan fez o quarto do São Paulo após receber passe de Talles e finalizar na saída de Tadeu. Uma goleada que, apesar de não ter credenciado o tricolor para a Libertadores, pode dar ao torcedor a esperança de uma próxima temporada melhor em relação a que foi este ano.