Dois atletas sul-mato-grossenses vão integrar a seleção brasileira de atletismo que vai competir no Campeonato Sul-Americano de Atletismo Sub-18, que acontece entre 9 e 11 de setembro, no estádio do COTP (Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa), em .

Ao todo, foram chamados 66 atletas (32 no feminino e 34 no masculino), seguindo os critérios fixados pela CBAt (Confederação Brasileira de Atletismo): os campeões do Loterias Caixa, disputados em Bragança Paulista (SP) e os atletas mais bem colocados no ranking da categoria.

Contemplados pelo Bolsa Atleta MS, programa coordenado pela Fundesporte (Fundação de Desporto e Lazer de MS), Isabela Rosa Dantas e Yuri Moreira Benites foram os convocados no Estado.

Tanto Isabela, da Associação Desportiva Atletas de Cristo (ADAC), de Campo Grande, quanto Yuri, da Associação da Mbo'eroy Guarani Kaiowá, vão em busca de medalhas para o Brasil no lançamento do dardo.

Atletas lideram ranking

Recentemente, o dardista indígena da Aldeia faturou o ouro na prova no Campeonato Brasileiro Sub-18, em Bragança Paulista (SP), alcançando a marca de 71,18 metros, exatamente um metro a mais que o segundo colocado. O resultado colocou Yuri na liderança do ranking brasileiro e sul-americano.

Yuri e o treinador (Foto: Divulgação/Fundesporte)

Isabela Dantas não fica para trás. A campo-grandense é dona do primeiro lugar no ranking nacional e uma das revelações do atletismo brasileiro.

Sul-Americano Sub-18

O Sul-Americano Sub-18 reunirá 273 atletas (139 no masculino e 134 no feminino), representando 10 países, incluindo o Brasil. A CBAt recebeu a inscrição da Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, e Venezuela, além do Brasil. A Argentina inscreveu 42 atletas (22 no masculino e 20 no feminino), o segundo país com o maior número de participantes.

O Brasil é o atual campeão sul-americano sub-18. Na edição de 2021, em Encarnación, no Paraguai, a seleção verde e amarela somou 410 pontos na classificação geral, 229 no masculino e 181 no feminino. A Colômbia, outra força no continente, ficou em segundo lugar, com 249 pontos, seguida da Argentina, com 229.

Em medalhas, o Brasil conquistou 46, sendo 14 de ouro, 19 de prata e 13 de bronze. A Colômbia também ficou em segundo lugar com 30 (11, 8 e 11) e a Argentina em terceiro, com 19 (7, 7 e 5).